Senado

Senador elogia papel do DNIT na transformação da infraestrutura do Piaui

Elmano Férrer falou durante sessão especial comemorativa aos 20 anos do órgão

Senador Elmano Férrer participou da solenidade do DNIT

Senador Elmano Férrer participou da solenidade do DNIT

O senador Elmano Férrer (Progressistas/PI) fez um pronunciamento nesta segunda-feira (7) para destacar o papel do DNIT na construção de uma nova e moderna matriz de infraestrutura. Durante a sessão especial comemorativa aos 20 anos do DNIT, o senador destacou as obras estruturantes e projetos em execução no Piauí e falou sobre o trabalho do órgão em meio à pandemia da Covid-19.

O senador Elmano Férrer prestou homenagem às duas décadas do DNIT, ressaltando as principais ações do órgão. "Na atual gestão do presidente Jair Bolsonaro, conduzido pelo General Santos Filho, e com apoio incondicional do Ministro Tarcísio Gomes de Freitas, o DNIT assumiu protagonismo na transformação da matriz de infraestrutura no Brasil. São centenas de ações encampadas desde 2019, dentre novos projetos e obras, concessões de rodovias e ferrovias, retomada e conclusão de diversas obras essenciais", afirmou o senador.

Durante o discurso, Elmano Férrer fez um levantamento das obras estruturantes realizadas no estado. "São sonhadas por décadas, saíram do papel, estão sendo executadas e entregues aos piauienses. Os maiores exemplos são a reconstrução da BR-135, antes Rodovia da Morte, agora Rodovia da Soja; a construção dos viadutos da zona urbana de Teresina; a duplicação da BR-316 de Teresina ao município de Demerval Lobão, que está a pleno vapor. E em especial, a recente inauguração, em 20 de maio, da Ponte Estaiada da BR-235, sobre o Rio Parnaíba, nos cerrados, unindo as cidades de Santa Filomena, no Piauí, e Alto Parnaíba, no Maranhão", ressaltou.

Para o senador, mesmo em meio à tragédia da pandemia da Covid-19 e todas as suas consequências, o Brasil vem avançando e construindo uma nova e moderna matriz de infraestrutura para o desenvolvimento econômico e social do país.

Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: