Senado

Senado deve pedir agenda de Bolsonaro com os pastores que cobravam propina no MEC

Senador Marcelo Castro vai assinar o requerimento para criação da "CPI do Ouro"

Senador Marcelo Castro (MDB-PI) é o presidente da Comissão de Educação

Senador Marcelo Castro (MDB-PI) é o presidente da Comissão de Educação Foto: Assessoria parlamentar

O senador Marcelo Castro (MDB-PI), presidente da Comissão de Educação do Senado Federal, revelou, nesta quinta-feira (14), que a Mesa Diretora da Casa vai pedir informações sobre as visitas dos pastores Gilmar Moura e Arílton Moura ao Palácio do Planalto. Os pastores estão no centro das denúncias, confirmadas por três prefeitos em depoimento à comissão, de cobrança de propina - em quilos de ouro - no Ministério da Educação. 



O governo se recusou a divulgar as agendas, alegando questões de segurança da Presidência da República. O pedido havia sido feito pelo jornal O Globo, com base na Lei de Acesso à Informação.


Em entrevista à Rádio Eldorado, o senador Marcelo Castro alegou que cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal e cogitou a possibilidade de encaminhar o mesmo pedido à direção do Senado. 



Marcelo Castro também confirmou a intenção de assinar o requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o MEC. Antes, no entanto, Castro pretende concluir os depoimentos no âmbito da Comissão de Educação, que não tem o mesmo poder de investigação de uma CPI. Um dos convidados a falar é o ministro interino da Educação, Victor Godoy.

Fonte: Folhapress/Redação

Dê sua opinião: