Senado

Marcelo Castro lamenta que senadores tenham retirado assinaturas da CPI do MEC

"A pessoa concordar e depois voltar atrás, sempre fica uma interrogação", afirmou o senador

Senador Marcelo Castro (MDB-PI) é o presidente da Comissão de Educação

Senador Marcelo Castro (MDB-PI) é o presidente da Comissão de Educação Foto: Assessoria parlamentar

O presidente da Comissão de Educação do Senado, Federal, Marcelo Castro (MDB-PI) lamentou que os senadores Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) e Styvenson Valentim (Podemos-RN) tenham retirado as assinaturas no pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para a apuração de denúncias corrupção no Ministério da Educação (MEC).


“Aqueles que não concordam, não assinaram tudo bem, mas a pessoa concordar e depois voltar atrás, sempre fica uma interrogação. Mas, não quero fazer juízo de valor sobre a posição deles. Uma CPI é algo da mais alta gravidade. Ninguém deve ser precipitado em assiná-la, deve analisar com profundidade para saber que estará apurando um fato grave”, advertiu, sem prejulgar os colegas senadores.


"Plano B"


Caso a CPI do MEC não seja instalada no Senado, a Comissão de Educação vai realizar audiências públicas "para mostrar os fatos" para os brasileiros.


“Vamos ver como vai evoluir daqui para lá, se vamos conseguir o número de assinaturas ou se não. Se não conseguirmos vamos continuar fazendo as audiências públicas na Comissão. Não tem o poder de investigação que tem uma CPI, mas podemos mostrar os fatos para a população”, avisou o presidente da comissão.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: