Senado

Ciro Nogueira comemora aprovação de Bolsonaro: “não é surpresa para mim”

Ibope indicou aprovação de 40% do governo Bolsonaro, melhor desempenho da atual

Bolsonaro e Ciro Nogueira numa conversa reservada na Serra da Capivara

Bolsonaro e Ciro Nogueira numa conversa reservada na Serra da Capivara Foto: Assessoria parlamentar

Divulgada nessa quinta-feira (24), a pesquisa Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), apontou uma excelente melhora na aprovação do governo Bolsonaro pelos eleitores. A aprovação do presidente da República, que em dezembro era de apenas 29%, superou os 40%.  O levantamento foi feito entre os dias 17 a 20 de setembro e ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios.

Pelas redes sociais, o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do partido Progressistas e forte aliado de Bolsonaro, comemorou os dados da pesquisa Ibope, mas destacou que o resultado não é uma novidade, e que os reflexos dessa aprovação de Bolsonaro já foi percebida durante suas visitas pelo interior do estado do Piauí. 

“A pesquisa do Ibope, que aferiu a aprovação do presidente Jair Bolsonaro, não chega a ser uma surpresa para mim. Nas últimas semanas, percorri 11 mil quilômetros e dezenas de cidades do Piauí, onde esse nível maior de aprovação já era percebido”, lembrou Ciro.

“Não tem um adesivo do PT”

Se de um lado o índice de popularidade do atual presidente da República só aumenta, do outro lado o índice de aprovação da gestão petista só diminui. É o que deu a entender com as afirmações do senador Ciro Nogueira durante seus discursos feitos no interior do estado enquanto participava de maratona de eventos políticos nestas últimas semanas. 

Ciro Nogueira disse não ter visto um adesivo do Partido dos Trabalhadores (PT) nas 12 cidades por onde passou, mostrando o baixo índice de popularidade do governo petista no interior do Piauí.

"Eu percorri nesses últimos dias 12 municípios. E tá difícil achar um adesivo do PT por ai. Eu não achei nenhum, só se for aqui. Essa onda vermelha acabou em todo o lugar [...] Essa onda passou, e olha que eu sou um admirador do presidente Lula, pelo que ele fez no combate a pobreza, mas passou”, considera o senador.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: