Senado

Ciro Nogueira nega indicação de Kassio Marques para o Supremo

O presidente Bolsonaro oficializou a indicação do desembargador piauiense, Kassio Nunes Marques ao STF na última sexta-feira (2)

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira Foto: Assessoria parlamentar

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) garante que não indicou o nome do desembargador piauiense, Kassio Nunes Marques, para assumir a cadeira do decano Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar afirma que a indicação de Kassio Marques para assumir a cadeira no STF foi por mérito, sem qualquer interferência política. 

“Quem influenciou a sua indicação foi sua história de vida, o papel que ele desempenhou no Tribunal Regional Federal em Brasília e a identificação que ele tem com o presidente Bolsonaro. Eu acho fundamental que as pessoas tenham que reconhecer que isso é um gesto que o presidente tem  com o Nordeste, com o estado do Piauí[...] 50 anos que nós não tínhamos uma indicação em um tribunal como esse. Os que tiveram só nasceram no Piauí, mas não viveram no estado, como o Kassio”, lembrou Ciro.

Natural de Teresina, Kassio Nunes Marques atuou como advogado até o ano de  2011, quando ingressou no TRF-1, que tem sede em Brasília. De 2008 a 2011, foi também juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. O julgador é mestre pela Universidade Autônoma de Lisboa, onde também fez doutorado e dois pós-douturados. É professor da pós-graduação em Direito Empresarial do Ibmec-DF. É representante do quinto constitucional da advocacia no TRF-1, onde exerceu a vice-presidência até abril de 2020.

Se Nunes for confirmado após sabatina no Senado, será o primeiro integrante da história republicana do STF graduado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e o sexto magistrado do Piauí a fazer parte do Supremo. Assumindo, Kassio poderá permanecer como ministro do Supremo até 2047, data em que irá completar 75 anos, idade definida para a aposentadoria compulsória de ministro do STF.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: