Poderes

Nova remessa com 20.200 doses de vacinas pediátricas chega ao Piauí nesta terça-feira

Voo com as 20.200 doses de Pfizer chega ao meio-dia no Aeroporto Petrônio Portela em Teresina

Vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos

Vacinas da Pfizer contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos Foto: Sesapi

Uma nova remessa de vacinas pediátricas está prevista para chegar ao Piauí, na tarde desta terça-feira (18). O voo com as 20.200 doses de Pfizer tem previsão de aterrissar ao meio-dia, no aeroporto Petrônio Portela em Teresina. As primeiras doses para o público de 05 a 11 anos chegaram ao Estado, na última sexta-feira (14), e já estão em posse dos municípios. Esta remessa também contará com 104 mil doses de reforço da Pfizer para a população acima de 18 anos.

Ao todo, é esperado que 331.433 crianças de 05 a 11 anos sejam vacinadas em todo o Estado. A aplicação das vacinas é de responsabilidade das prefeituras municipais. “É com muita felicidade que vemos as nossas crianças começarem a ser vacinadas um ano depois do início da vacinação contra a Covid-19. Reitero a importância dos pais levarem seus filhos para serem imunizados. Juntos, vamos superar essa pandemia”, lembrou o secretário da Saúde, Florentino Neto.

Lote do Janssen

Chegou ao Piauí, no sábado (15), o quarto e último lote de vacinas do laboratório Janssen, da Johnson & Johnson, para aplicação da dose de reforço. São 15 mil doses que serão distribuídas aos municípios para concluir o esquema vacinal de 52.934 pessoas que tomaram a primeira dose do imunizante.

Até o momento, 399.622 pessoas tomaram a dose de reforço no Piauí, o que representa 12,17% da população do Estado. Em relação à primeira dose, 2.740.045 foram imunizados, o que representa 83,50%. Os piauienses que receberam a segunda dose somam 2.431.398 ou 75,71% da população.

Neste primeiro ano de campanha contra a Covid-19, o estado do Piauí já aplicou 5.623.999 milhões de doses das vacinas. “Chegamos há um ano do primeiro piauiense a receber a vacina contra a Covid-19. No decorrer desse tempo o secretário Florentino Neto e governador Wellington Dias estiveram empenhados para que as vacinas pudessem chegar a todos os piauienses e cobrando do Ministério da Saúde mais vacinas para nossa população. E hoje podemos ser o segundo estado do Brasil que mais vacinou sua população com as duas doses. Devemos isso também ao povo do Piauí que atendeu aos nossos chamados para a vacinação”, destaca o superintendente de Atenção à Saúde e Municípios, Herlon Guimarães.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), através da Coordenadoria de Imunização, realizou na tarde de hoje (17), treinamento com representantes dos municípios do Piauí sobre a Vacinação Pediátrica contra a Covid-19 no Estado. O Ministério da Saúde divulgou Nota Técnica com as orientações para vacinar o público de 5 a 11 anos de idade.

Segundo a Nota Técnica do Ministério, o imunizante tem dosagem e composição diferentes da que é utilizada na dose para os maiores de 12 anos. A vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 ml (equivalente a 10 microgramas). A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação. Não será exigida prescrição médica para a vacinação.

Os representantes dos municípios foram informados também sobre o intervalo entre as duas doses. Segundo a Coordenadora de Imunização, Kássia Barros, o esquema vacinal prevê oito semanas de intervalo da primeira para a segunda dose. “Se a criança completar 12 anos no intervalo para tomar a segunda dose, mesmo assim tem que tomar a vacina da tampinha laranja, a vacina pediátrica”, afirma Kássia.

O imunizante tem que ser mantido na temperatura de 2 a 8 graus centígrados e, uma vez retirada do congelador não pode ser novamente congelado. A Nota esclarece ainda que a vacina pode ficar até 10 semanas em geladeira e tem que ser aplicada até 12h após diluída, sendo importante anotar o dia e horário em que o frasco foi aberto. As embalagens com 10 frascos podem levar até quatro horas para descongelar na temperatura de 2 a 8 graus ou 30 minutos em 30 graus. As agulhas para a aplicação devem ser de calibre 25×0,6.

No caso de comorbidades, são consideradas cardiopatias crônicas, pneumopatia crônica, imunossuprimidos, doença renal crônica, asma, doenças hepáticas, síndrome de down e doenças neurológicas. As reações adversas observadas até agora são as comuns em todas as vacinas. De acordo com a Coordenadora de Imunização, Kássia Barros, após a vacinação a criança deve ficar em observação durante 20 minutos.

Fonte: Sesapi

Dê sua opinião: