Alepi

Postos de combustíveis, igrejas e templos religiosos vão poder abrir no feriadão

Wellington Dias atendeu aos apelos para exclusão dessas atividades do lockdown parcial

Deputado estadual João Mádison (MDB)

Deputado estadual João Mádison (MDB) Foto: Thiago Amaral/Alepi

Após apelo do deputado estadual João Mádison (MDB) ao Governo do Estado, os postos de combustíveis não fecharão durante o lockdown parcial de quatro dias - desta quinta-feira (17) até domingo (21). O Decreto nº. 19.529/2021 adotou novas medidas de restrição em todo o Piauí como estratégia para diminuir a transmissibilidade do novo coronavírus.

As igrejas e tempos religiosos também vão poder abrir depois da flexibilização do decreto pelo governador Wellington Dias, atendo a pedido do arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Britto, e dos deputados Gessivaldo Isaías (Republicanos) e Teresa Britto (PV).

Nos últimos decretos, a suspensão de atividades comerciais aos finais de semana incluía os postos de combustíveis como atividades não-essenciais. O deputado João Mádison conversou com o secretário estadual de Governo, Osmar Júnior, e propôs a alteração.

Segundo o sindicato dos donos de postos de combustíveis no Piauí, 4 mil funcionários foram demitidos do ano passado até 2021 devido à pandemia, quando a circulação de carros caiu drasticamente.

“Sempre defendi que a atividade dos postos de combustíveis é essencial para garantir o direito de ir e vir dos piauienses. Além disso, mantém o emprego e a renda de muitos trabalhadores no estado. Quero agradecer ao governador Wellington Dias pela sensibilidade em alterar a restrição neste decreto atual, que permitirá o funcionamento dos postos no final de semana”, agradeceu o parlamentar.

Os donos de postos de combustíveis e frentistas celebraram a inclusão da categoria como atividade essencial e agradeceram o apoio do parlamentar por meio de uma carta de agradecimento. “O Sindicato dos Postos de Combustíveis do Piauí (Sindipostos/PI) agradece ao nobre deputado João Mádison, pelo seu trabalho e empenho em buscar junto ao governo estadual, de recursos para manter os postos de combustíveis em funcionamento, considerando sim, como serviço essencial”, diz uma nota do Sindispostos.

Fonte: CCom

Dê sua opinião: