Poderes

Piauí é um dos 5 estados a não informar estoque de seringas, diz Ministério da Saúde

Relatório apresentado pelo Ministério ao STF apontou que pelo menos 7 estados não possuem estoque de seringas e agulhas para as doses iniciais

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Reprodução

Em ofício ao STF, Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (13) que o governo "não possui estoque disponível" de seringas e agulhas para a campanha de vacinação contra a covid-19. De acordo com o documento, 7 estados não têm nem mesmo para as doses iniciais, para grupos prioritários.

Conforme o documento, o estado do Piauí é um dos cinco entes federativos que não informaram o atual estoque de seringas e agulhas disponíveis para serem utilizados no início da campanha de vacinação.

“Os estados de Amapá, Bahia, Pará e Piauí não encaminharam as informações relativas aos estoques, motivo pelo qual foi utilizado a informação constante no sistema SIES”, diz o ofício.

O documento foi enviado pelo órgão para cumprir decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que havia determinado que o Ministério da Saúde comprovasse o estoque dos insumos.

A pasta afirmou que os Estados correm risco de não ter estoque suficiente para atender à demanda inicial de aplicação das vacinas.

Em uma análise mais detalhada, observando o estoque de cada estado, verifica-se que apenas os Estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina não teriam estoque suficiente para suprir essa demanda inicial, caso houvesse a disponibilidade imediata das 30 milhões de doses [da vacina contra a covid-19]”, disse o ministério.

Segundo a pasta, a aquisição desses produtos é normalmente feita pelos Estados.

“Com relação à comprovação dos estoques dos referidos insumos, cumpre-nos informar que, via de regra, as aquisições são realizadas pelos próprios Entes federados, cabendo à União o fornecimento dos imunobiológicos necessários para a execuções das ações de imunização. Por esse motivo, este Ministério não possui estoque disponível para a realização da referida campanha de vacinação”, diz trecho do documento.

O que diz a Sesapi

Contrariando o que foi divulgado pelo Ministério da Saúde, a  Secretaria de Saúde do Piauí afirmou possuir estoque suficiente de agulhas e seringas para o início da vacinação no estado. De acordo com o órgao cerca de 200 mil seringas e agulhas começarão a ser distribuídas em todo o estado para serem utilizadas na primeira fase da imunização contra o coronavírus.

A estimativa do órgão é que até o próximo dia 16, sejam entregues as seringas e agulhas necessárias para a primeira etapa de vacinação. Os suprimentos serão distribuídos nas dezesseis centrais de frios espalhadas pelo Piauí.

Na primeira fase de imunização contra o vírus espera-se vacinar 187.085 piauienses que estão nos grupos de trabalhadores da saúde, pessoas com mais de 80 anos e população entre 75 e 79 anos.

O Governo do Piauí tem a expectativa de começar a vacinação ainda nos primeiros meses de 2021, assim que os imunizantes forem liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Até o dia 20 de janeiro é possível que tenhamos a autorização da vacina no Brasil. Como já há vacinas no país, contrato de compra e plano nacional de imunização, creio que cinco dias após a autorização possamos começar a vacinar em todo o Brasil, garantindo a distribuição e qualificação. Acredito que, na próxima semana, teremos uma data definida para o início da vacinação e um cronograma para imunização do povo brasileiro”, prevê o governador Wellington Dias.

Fonte: Ministério da Saúde/Sesapi

Dê sua opinião: