Poderes

“A data será definida na terça” diz governador sobre início da vacinação no Piauí

O anúncio foi dado nesta sexta-feira (15) durante transmissão ao vivo pelas redes oficiais, onde o gestor apresentou o Plano Operacional de Vacinação contra a Covid-19 no estado do Piauí

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT)

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT) Foto: CCom

O Governo do Estado apresentou na manhã desta sexta-feira (15), o Plano Operacional de Estratégia de Vacinação contra a Covid-19 no Piauí. A reunião contou com a participação do governador Wellington Dias; do secretário de Saúde, Florentino Neto; o secretário de Finanças Rafael Fonteles; a deputada federal Rejane Dias, o deputado estadual Francisco Limma; a prefeita do município de Piripiri,Jovê Oliveira; prefeito do município de Cocal, Raimundo Nonato Fontenele (PT); e demais autoridades. Durante a ocasião, também foi realizada uma reunião do COE ampliado.

Abrindo a discussão, o governador Wellington Dias criticou o atraso no Plano Nacional de Vacinação, que é conduzido pelo Governo Federal, mas destaca que o Ministério da Saúde agora possui as condições de oficializar um Plano Nacional de Vacinação, e que a data oficial será divulgada na próxima terça-feira (19), em reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, após a Anvisa liberar mais um imunizante para o uso no país.

“O Brasil está atrasado por conta de tudo que aconteceu no mundo. Porém agora a gente tem as condições de ter um plano. Da parte, tanto do Ministério da Saúde como da Anvisa nós temos até a próxima segunda-feira, dia 18, não só mais uma promessa, mas uma obrigação legal para que se tenha pelo menos duas vacinas para uso no Brasil, a da Fiocruz, com previsão de chegada ao Brasil até este final de semana vindo da  Índia”.

O governador afirmou que ainda nesta sexta-feira (15) irá a Brasília, para discutir a logística para a distribuição dos imunizantes no Piauí.

“Precisamos organizar em cada município, a partir daquele ponto de vacinação, um sistema conforme as fases e outros critérios que já foram definidos, levando em conta critérios técnicos, para que a gente tenha o aproveitamento das doses, para a gente evitar perdas”, enfatizou.

Segundo o cronograma anunciado pelo governador, na terça-feira (19), após a decisão da anvisa com relação a liberação das vacinas, e a chegada das vacinas AstraZenica/Oxford somando com os imunizantes que serão disponibilizados pelo Instituto Butantan, será finalmente definida a data de início da vacinação em todo o país, e consequentemente no estado do Piauí.

“Nós estamos trabalhando essa logística de distribuição.  O Governo Nacional, a partir de uma base que foi montada em Guarulhos, já tem as frotas aéreas para fazer a distribuição. Ao chegar no Piauí, nós já temos os contratos para também poder viabilizar a chegada célere as regiões e aos municípios, para que a gente possa ter essa segurança de vacina chegando a todos os lugares”.

Uma das preocupações destacadas pelo governador é relacionada à comunicação da população em razão dos primeiros grupos que serão contemplados com a vacinação:

“Comunicar bem a população que há uma ordem de prioridade. Essa ordem não é política, ela é uma ordem que levam em conta salvar vidas. 70% dos óbitos e mais de 70% das internações em leitos clínicos e de UTIs, eles levam em conta uma parcela da população que tem um risco maior, como os profissionais de saúde, médicos, enfermeiros, e pessoas que estão lidando no dia a dia com infectados com a Covid-19, as pessoas que vão trabalhar na vacinação, como seguranças, vigilância, transporte, que também estão na linha de prioridade”, argumentou Wellington Dias.

Além de fatores relacionados às profissões,  o governador também destaca outros fatores que serão levados em consideração na primeira etapa de vacinação, como idade e comorbidades:

“A partir daí tem um regramento que leva em conta idade e comorbidade: mais de 80 anos, mais de 75 e vem aí a alcançar essa fase 1”, explicou.

O Programa Nacional de Imunização tem como meta vacinar, inicialmente, 1.113.329 pessoas dos grupos prioritários, conforme a vacinação, que será dividida em 4 etapas.

Na primeira fase do programa, conforme foi apresentado, 5 grupos prioritários serão contemplados: trabalhadores de Saúde ( 74.744), pessoas de 80 anos ou mais (59.751); pessoas de 75 a 79 anos (52.590); povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas (42.250) e população indígena em terras indígenas demarcadas (não divulgado).

A estratégia definida pelo estado no Plano de Vacinação consiste no processo de distribuição das vacinas nas 11 regiões de saúde e 5 núcleos, com 1.103 postos de vacinação.

Dê sua opinião: