Poderes

Governador Wellington Dias suspende todas as atividades presenciais em novo decreto

Medida visa conter o avanço de novos casos da Covid-19 em todo o estado, após a ocupação de leitos superar os 90%

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT)

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT) Foto: Reprodução/CCom

O governador Wellington Dias (PT) anunciou na manhã desta segunda-feira (22) a suspensão, até o dia 7 de março, de todas as atividades presenciais, com exceção dos serviços essenciais. O novo decreto tem por objetivo conter o avanço da Covid-19. No Piauí, a ocupação de leitos de UTI já superou os 90%.

Conforme o anúncio do governador, bares e restaurantes terão seu funcionamento limitado. Confira abaixo quais estabelecimentos serão permitidos funcionar:

I – mercearias, mercadinhos, mercados, supermercados, hipermercados, padarias;
II – farmácias, drogarias, produtos sanitários e de limpeza;
III – lavanderias;
IV – postos revendedores de combustíveis, distribuidoras de gás, oficinas mecânicas e borracharias;
V – lojas de conveniência e de produtos alimentícios, situadas em rodovias e BRs, na zona rural;
VI – hotéis, com atendimento exclusivo dos hóspedes;
VII – distribuidoras (exceto de bebidas alcoólicas) e transportadoras;
VIII – serviços de segurança e vigilância;
IX – serviços de alimentação preparada e bebidas exclusivamente para sistema de delivery ou drive-thru;
X – bancos, serviços financeiros e lotéricas;
XI – serviços de telecomunicação, processamento de dados, call center e imprensa;
XII – transportes de passageiros;
XIII – hospitais e laboratórios;
XIV – prestação de serviços de atividades físicas.

As medidas passarão a valer a partir das 0h desta quarta-feira (24) e seguem até o próximo dia 7 de março. Em reunião celebrada nesta manhã, o governador anunciou também que as atividades religiosas e aulas presenciais, na rede pública e privada, também estão suspensas.
"A situação é muito grave. Temos um problema real, em relação a mais profissionais. Não estamos encontrando profissionais para criar mais leitos. Estamos com dificuldade também para o abastecimento, de remédios e insumos. Em razão disso, estamos pedindo a contribuição das pessoas. Vamos fazer um esforço muito grande para reduzir os adoecimentos e óbitos, para garantir a retomada com menos prejuízos para a própria economia",  disse Wellington Dias.

Confira o decreto:


Dê sua opinião: