Demais Poderes

CPI da Pandemia tenta aprofundar investigações sobre "gabinete paralelo"; Veja!

O deputado Osmar Terra, apontador como mentor do grupo, depõe na CPI nesta terça-feira (22)

Deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania, depõe na CPI

Deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania, depõe na CPI Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Os senadores da CPI da Pandemia tentam aprofundar as investigações sobre o chamado “gabinete paralelo”, grupo de aconselhamento do presidente Jair Bolsonaro para a gestão da pandemia de Covid-19 fora das diretrizes do Ministério da Saúde. O deputado Osmar Terra (MDB-RS), que depõe à CPI nesta terça-feira (22), e é apontado como um dos principais articuladores do grupo, negou a existência dos conselheiros.

“Esse gabinete é uma ficção. Se assessores do presidente lhe dão alguma recomendação, algum conselho, isso é natural. Todos tiveram, todos os presidentes, até hoje, que eu sei, se aconselham com alguém, sei lá, entendeu? Eu não... É da cabeça deles. O que eu faço é manifestar minha opinião. Se serve ou não serve”, disse.



Confrontado por vídeos expostos na reunião pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL), Osmar foi questionado sobre a influência que a teoria de imunidade de rebanho defendida por ele teria sobre o presidente da República. O deputado se justificou dizendo que Bolsonaro “ouve todo mundo”.

“Não tem cabimento uma coisa dessas, querer imputar um poder sobrenatural para as pessoas. Ele ouve todo mundo, como todo mundo... O senhor não é da área da saúde, presidente, nem o senador Renan, mas o senhor ouve alguém, o senhor vai perguntar, pergunta pra um, pergunta pra outro pra formar um juízo. O presidente da República não pode fazer isso? Ele pode”.


O deputado federal Osmar Terra depõe na CPI da Pandemia do Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado 

Fonte: Congresso em foco

Dê sua opinião: