Comunidade na divisa do Piauí com Pernambuco recebe cisternas

A Serra do Inácio recebe água em carros-pipa de 15 em 15 dias

Regina Sousa ficou sensibilizada com a situação das famílias

Regina Sousa ficou sensibilizada com a situação das famílias

Os moradores da Serra do Inácio, localizada entre os Estados do Piauí e Pernambuco vão receber, este ano, cisternas calçadão com capacidade para 52 mil litros de água. 

Os recursos foram solicitados pela vice-governadora Regina Sousa e aprovados no Fundo de Combate a Pobreza em 2019 e projeto será realizado por uma entidade não governamental.  E vai resolver o problema de várias famílias que terão água para o consumo e para o cultivo de hortas.

A vice-governadora Regina Sousa visitou a Serra do Inácio em abril e em maio de 2019 e ficou sensibilizada com a situação das mais de 400 famílias que moram em áreas que fazem parte dos  municípios de Curral Novo e Betânia, no Piauí, Ouricuri, Santa Filomena e Araripina, em Pernambuco.

“ São pessoas que não têm o que comer e têm muita carência.” E diante do que presenciou, a vice-governadora solicitou e em conjunto com outros órgãos levou vários serviços aos moradores em um Dia de Cidadania.

Regina Sousa conta que após a visita, se propôs a ajudar a resolver o problema da falta de água e por isso levou o pedido para o Fundo de Combate à Pobreza que aprovou recursos de R$ 2 milhões para construção de 150 cisternas. Elas serão construídas por uma entidade não governamental, e a selecionada foi o Centro de Estudos Ligados à Técnicas Alternativas que, segundo Gilcélio Arraes, coordenador financeiro, este mês será feita reunião nas localidades beneficiadas para detalhar os critérios das escolhas das famílias que serão benefciadas.

Na Serra do Inácio as famílias são abastecidas com carros-pipa de 15 em 15 dias. Regina Sousa conta que na visita viu crianças em casa e perguntou porque não tinham ido à escola. E a resposta foi que não havia água na escola e só voltariam após o próximo abastecimento do carro-pipa. Os moradores informaram ainda que no período sem receber água, usam o líquido só para consumo e alguns ficam sem banho para economizar e não ficar sem água para beber e preparar as refeições. 

Vice-governadora conta que a previsão é que no período chuvoso as cisternas calçadão de 200 metros quadrados já estejam recebendo água para abastecer as famílias no período de estiagem. “ E captar água limpa da chuva para beber e cultivar.”

Fonte: Ascom

Dê sua opinião: