Poderes

A fotografia no contexto histórioco é tema de novo livro de Ricardo Arraes

Obra foi lançada apenas em plataformas e livrarias virtuais devido a pandemia ocasionada pelo Novo Coronavírus

Livro é o quarto publicado pelo autor

Livro é o quarto publicado pelo autor

O poder da fotografia na narrativa histórica e a forma como, ao longo dos anos e rompendo dimensões, apenas ela tem a capacidade de contextualizar significativas mudanças é o que nos apresenta o livro Os Soldados-Fotógrafos da Paz. de autoria do cientista político e professor Ricardo Arraes.

Lançado pela Editora Brazil Publishing, de Curitiba apenas em plataformas e livrarias virtuais devido a pandemia ocasionada pelo Novo Coronavírus,  trata-se ds quarta pulbicação do autor e se constitui em uma parte de seu relatório de pós-doutoramento realizado na PUCRS, entre 2014 a 2015.

A obra

Entre os anos de 1957 e 1967, a Organização das Nações Unidas (ONU) organizou e enviou para a fronteira árabe-israelense a sua primeira Missão de Paz, visando acalmar os ânimos entre o Egito e Israel. Essa missão era a Unef (United Nations Emergency Force, na sigla em inglês).

Militares de dez países – Brasil, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Índia, Indonésia, Iugoslávia e Noruega – participaram da missão. O ofício principal era servir como um elemento político e militar neutro entre o povo local – os palestinos – e as forças do Egito e de Israel.

Segundo o autor, os militares levaram a paz para a região e escrutinaram profundamente a Faixa de Gaza e uma parte do Oriente Médio. A missão levou para as antigas terras da Palestina militares muito jovens e ávidos pela descoberta e aventura. Era muita informação para gravar e guardar na cabeça. Elementos demais, fantásticos demais para relatar e encontrar quem neles acreditassem. Dessa forma, a fotografia se tornou um meio de comprovação e objeto de lembrança de um período e lugar para os quais jamais retornariam. Assim, os soldados transformaram-se momentaneamente em fotógrafos.

"Munidos de máquinas fotográficas os militares percorreram o deserto e várias cidades do Oriente Médio e nos presentearam com um belíssimo acervo de imagens a um tempo vívidas e pujantes sobre a terra, a guerra e a cultura que desfilava a sua frente. Este livro não é apenas sobre as imagens, mas sobre seus produtores, os soldados-fotógrafos da paz", afirma Ricardo Arraes.


Fonte: Ascom

Dê sua opinião: