Câmara Teresina

Partidos e blocos se articulam para ocupar cargos vagos na Prefeitura de Teresina

"Seria natural participarem com a indicação de cargos”, explicou o líder do prefeito, Renato Berger

Vereador Renato Berger (PSD), líder do prefeito na Câmara Municipal de Teresina

Vereador Renato Berger (PSD), líder do prefeito na Câmara Municipal de Teresina Foto: Reprodução

Depois que o prefeito de Teresina, José Pessoa Leal,  o "Dr. Pessoa (MDB)", anunciou que pretende fazer uma reforma "mais forte" no secretariado, agora no final de março, quando os secretários e diretores de órgãos municipais deixam os cargos para concorrer nas eleições de 2 de outubro, há uma intensa movimentação de vereadores na Câmara. Os partidos e blocos se organizam para ocupar os cargos vagos que vão surgir com a desincompatibilização estabelecida pela Lei Eleitoral.

“Vemos a organização dos vereadores em quatro ou cinco blocos parlamentares.  Mostram que querem ajudar na administração e seria natural participarem com a indicação de cargos”, explicou o líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Renato Berger (PSD).

Alguns desses blocos já estão formados, como o PSDB/Progressistas, formado pelos vereadores Gustavo Carvalho, Neto do Algelim, Valdemir Virgino e Venâncio Cardoso; DEM/PTB/PV, composto pelos vereadores Bruno Vilarinho,  Markim Costa, Polyanna Rocha e Roberval Queiroz; o PSL, do qual fazem parte os vereadores Luís André, Tanandra Sarapatinha e Teresinha Medeiros.

Demandada tucana

Já o presidente do PSDB de Teresina, vereador Edson Melo, pode deixar o partido, caso a federação com o Cidadania venha a se consolidar no Piauí. O Cidadania lançou a pré-candidatura de Washington Bonfim a governador.  “Vamos continuar a apoiar Sílvio Mendes. Isso gera uma situação constrangedora podendo até levar a uma debandada. Vamos saber se é possível sair já que na legislação tem alguns casos que pode sair como no caso de federação”, previu Edson Melo.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: