Joaquim do Arroz vai destinar R$ 1,5 milhão em emendas para compra de respiradores

Verba orçamentária será destinada à compra de 30 respiradores artificiais para UTIs de hospitais de Teresina

Vereador esteve reunido com  o secretário de Planejamento de Teresina, José João Braga

Vereador esteve reunido com o secretário de Planejamento de Teresina, José João Braga

O vereador Joaquim do Arroz (sem partido) anunciou a destinação de R$ 1,5 milhão em emendas não executadas para a aquisição de 30 respiradores artificiais, aparelhos  fundamentais para o tratamento da COVID-19 e devem ser instalados em Unidades de Terapia Intensiva de Teresina. A decisão do vereador ocorreu após reunião dele com o secretário de Planejamento de Teresina, José João Braga, quando trataram sobre a pandemia causada pelo Novo Coronavírus.

Joaquim do Arroz explica como o recurso será alocado para Saúde de Teresina e comenta a importância dos respiradores. “Decidimos alocar cerca de um milhão e meio em emendas não executadas para a compra de 30 respiradores para a Fundação Municipal de Saúde. Um dos maiores problemas com o Coronavírus em outros países é a falta de respiradores artificiais necessários após complicações respiratórias. A secretaria de planejamento está fazendo um levantamento de todas as emendas não executadas para transferir a verba para a aquisição dos equipamentos que serão instalados em unidades de Terapia Intensiva de Teresina” disse.

Após a destinação da verba, o Executivo municipal pretende adquirir os equipamentos no mercado nacional.

Até o momento o Piauí já registrou três casos confirmados de COVID-19, todos em Teresina. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estudos recentes revelam que dos pacientes hospitalizados com o Novo Coronavírus na China, 6,1% precisaram de ventilação mecânica, sendo que a maioria são pacientes dos grupos de risco como idosos, pessoas com doenças respiratórias crônicas como a asma; com doenças cardíacas, diabéticas e hipertensas. Na Itália a ausência do equipamento tem sido a principal causa dos óbitos.

Fonte: Ascom

Dê sua opinião: