Câmara Teresina

Dr. Pessoa apresenta à Câmara projetos para beneficiar servidores da Prefeitura

Dr. Pessoa esteve na Câmara Municipal nesta segunda-feira (4) para "um cafezinho"

Dr. Pessoa com os vereadores na Câmara Municipal de Teresina

Dr. Pessoa com os vereadores na Câmara Municipal de Teresina Foto: PMT

O prefeito de Teresina, José Pessoa Leal, o “Dr. Pessoa” (Republicanos) esteve na Câmara Municipal na manhã desta segunda-feira (4) para conversar com os vereadores sobre duas propostas relacionadas a pessoal.


“É uma visita de cortesia. O Poder Executivo visita o Poder Legislativo várias vezes durante o período e agora está terminando um período e viemos visitar e tomar um cafezinho. Espero que o cafezinho não seja tão fraco”, brincou o prefeito, que estava acompanhado do secretário municipal de Governo, André Lopes, e do presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina (IPMT), Kennedy Glauber,


Uma das propostas reajusta para 11% o abono de permanência para os servidores municipais – o percentual era 3%.


A outra matéria que chega à Câmara alteram diapositivos da previdência de Teresina. André Lopes explica que a proposta diminui a oneração do IMPT com o incentivo para que os servidores demorem mais para se aposentar.


“Hoje o servidor receber um benefício de 3% para permanecer na ativa, estamos propondo a aumentar esse reajuste para 11% de modo que ele possa demorar um pouco mais para se aposentar”, adiantou André Lopes.


Um outro projeto, que deve  ser aprovado antes do recesso cria a Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI), um valor a ser acrescido ao vencimento do servidor público, relativo à diferença entre o vencimento do cargo efetivo e o do cargo comissionado ou função de confiança.


“O VPNI transforma incorporada a gratificação em uma verba inominada e retira a paridade da gratificação ficando somente sob o vencimento”, comentou André Lopes.


“Entendemos, sim, que é um benefício para o servidor porque já está aprovado os 3% e estamos trazendo esse projeto para aumentar para 11%. Os 14% é algo que todos os servidores da ativa foram alcançados. Então, nada mais justo que deixar isso de forma isonômica”, acrescentou Kennedy Glauber.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: