Câmara Teresina

Antonio José Lira critica Ismael Silva: "porque não propôs quando era da base?"

Projeto impede que o prefeito inaugure obras inacabadas com fins eleitoreiros

Plenário da Câmara Municipal de Teresina

Plenário da Câmara Municipal de Teresina Foto: Divulgação/CMT

 A Câmara Municipal de Teresina pode aprovar um projeto de lei que moraliza o serviço público no município, impedindo que o prefeito possa inaugurar obra inacabada com fins eleitoreiros, como o Ginásio Poliesportivo Petrônio Vasconcelos, no bairro Lourival Parente,  na zona Sul da capital.  O ginásio foi inaugurado, mas nunca liberado para uso da população. 


O projeto de lei foi proposto pelo vereador Ismael Silva (PSD), de oposição ao prefeito José Pessoa Leal (Republicanos), e tem como objetivo impedir que inaugurações eleitoreiras. “O projeto é direciona a proibição de inauguração de obras inacabadas ou que embora prontas não estejam preparadas para servir a população. Sendo mais claro, aquelas que não possuem todas as licenças e alvarás para entrar em funcionamento. Uma escola, por exemplo, precisa de carteiras e servidores para prestar serviços à população ou termina sendo inútil […] queremos impedir que essas obras sejam utilizadas com fins eleitoreiros, violando o princípio da impessoalidade”. 


Ao ser colocado em pauta durante a votação na Câmara, o projeto foi alvo de críticas do vereador Antônio José Lira, hoje defensor da administração municipal. “Ele quer apresentar um projeto que se a gente inaugurar a primeira etapa [da obra], não pode. O povo deve ficar o tempo todo triste com ele, amargo. Se fez a primeira etapa da Via Sul, que se inaugure, sim, para o povo ficar feliz. Para a população ficar feliz e a que vai ser feita ficar na esperança. Parece que ele está querendo pautar a gestão. Por que não pautou quando era da base? Estava entupido, com a pitomba na boca, com bombom na boca? O que aconteceu para agora ele estar contra a gestão?”, suspeitou o vereadopr do Republicanos. 


Ismael Silva lamentou a fala de Lira. “Sempre [o tratei] com muito respeito, mas, infelizmente, não houve o mesmo posicionamento, a mesma postura dele”, disse.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: