Municípios

Prefeitura de Picos adota lockdown parcial no próximo final de semana

Medida segue as mesmas restrições adotadas pelo Governo do Estado, anunciadas na terça-feira (23)

Gil Paraibano (Progressistas), prefeito do município de Picos

Gil Paraibano (Progressistas), prefeito do município de Picos

O prefeito do município de Picos, Gil Paraibano (Progressistas), anunciou na tarde desta quarta-feira (24) novas medidas preventivas que visam conter o avanço da Covid-19 no município. O novo decreto, nº 39/2021, segue as mesmas recomendações do decreto do Governo do Estado, anunciado no dia 23 de fevereiro e vigorará até o dia 4 de março.

De acordo com a medida, fica proibida, em todo o município de Picos enquanto durar o decreto, a realização de festas e eventos em ambientes eventos e fechados, que sejam promovidos por entes públicos ou privados. Suspendendo assim o funcionamento de boates, casas de shows e quaisquer tipos de estabelecimentos que promovam atividades festivas, em ambiente aberto ou fechado, com ou sem venda de ingressos.

O funcionamento do comércio teve o seu funcionamento restringido até às 17h e os shoppings center somente das 12h até às 21h.

O decreto também determinou o toque de recolher até o dia 04 de março, no horário compreendido entre as 23h e as 5h, a circulação de pessoas em espaços e vias públicas, ou em espaços e vias privadas equiparadas a vias públicas, ressalvado os deslocamentos de extrema necessidade, como: deslocamento a unidades de saúde, unidades policiais ou judiciárias; em trabalho de atividades essenciais autorizadas a funcionar; entrega de bens essenciais a pessoas do grupo de risco; ou motivos de força maior, desde que devidamente justificados.

Conforme o decreto, a partir das 00:00 do próximo sábado, dia 27 de fevereiro, até as 5h da próxima segunda-feira,1 de março, as atividades econômicas do município ficarão suspensas, com exceção das atividades essenciais.

Confira a lista das atividades que serão permitidas funcionar neste final de semana:

I – mercearias, mercadinhos, mercados, supermercados, hipermercados, padarias e produtos alimentícios;

II – farmácias, drogarias, produtos sanitários e de limpeza;

III – oficinas mecânicas e borracharias;

IV – lojas de conveniência, de produtos alimentícios e postos de combustíveis situados em rodovias federais ou estaduais, na zona rural;

V – hotéis, com atendimento exclusivo dos hóspedes;

VI – distribuidoras (exclusivamente para recebimento e armazenamento de cargas e transportes);

VII – serviços de segurança e vigilância;

VIII – serviços de alimentação preparada e bebidas exclusivamente para sistema de delivery ou drive-thru;  

IX – serviços de telecomunicações, processamento de dados, call center e imprensa;

X – serviços de urgência e emergência, hospitais, laboratórios, serviços radiodiagnósticos;

XI – serviço de saneamento básico, transporte de passageiros, energia elétrica e funerários;

XII – agricultura, pecuária e extrativismo;

XIII – atividades religiosas, com público limitado a 30% (trinta por cento) da capacidade de templos e igrejas.

Veja o decreto:

Dê sua opinião: