Câmara dos Deputados

Flávio Nogueira considera voto impresso um retrocesso político eleitoral

O deputado piauiense considera que a proposta, defendida pelo presidente Bolsonaro, está fora de época

Deputado federal Flávio Nogueira

Deputado federal Flávio Nogueira

O deputado federal Flávio Nogueira foi um dos parlamentares piauienses que votou contra a proposta do voto impresso, que foi apreciada na noite desta terça-feira no Plenário da Câmara Federal. Para Nogueira, a votação impressa seria um retrocesso para o sistema político eleitoral.

A obrigatoriedade da impressão de cédulas físicas nas eleições, plebiscitos e referendos consta na PEC 135 de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF). A proposta teve apoio de 229 deputados, mas precisava de, pelo menos, 308 votos para ser aprovada. Ao todo, foram 448 votos computados, um parlamentar se absteve da votação e 218 rejeitaram a proposta, entre eles, Flávio Nogueira. “Querer o voto impresso é optar pelo anacronismo. Podemos até aprimorar, ainda mais, o modo de votação. Nunca retroceder", argumentou.

A PEC do voto impresso já havia sido rejeitada na comissão especial da Câmara no último dia 05 de agosto, por 23 votos a 11. Ainda assim, foi levada para votação em plenário. Agora, com a rejeição em plenário, a PEC será arquivada. Com isso, o formato atual de votação e apuração, utilizando as urnas eletrônicas, deverá ser mantido nas eleições do próximo ano.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Dê sua opinião: