Câmara dos Deputados

Deputado Fábio Abreu busca recursos para comunidades terapêuticas piauienses

O parlamentar piauiense se reuniu com o secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania

A reunião ocorreu de forma virtual e rendeu bons resultados

A reunião ocorreu de forma virtual e rendeu bons resultados

O deputado federal Fábio Abreu (PL) se reuniu com o secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania (Senapred), Quirino Cordeiro, para solicitar recursos para as instituições que atuam no tratamento de dependentes químicos no Piauí. O fundador da Fazenda da Paz, Célio Barbosa, entidade que acolhe  jovens e adultos há mais de 25 anos no Estado participou do encontro que aconteceu de forma virtual.

“Solicitamos o apoio para essas instituições que recebem uma demanda cada vez maior de pessoas precisando de tratamento. Faltam vagas para atender os que precisam e os recursos não são suficientes”, disse Fábio Abreu, que já destinou emendas parlamentares para comunidades terapêuticas, mas os recursos não chegaram. “Enfrentamos uma burocracia grande nesse país, até porque o tratamento contra o vício em drogas, não é enquadrado como atendimento à saúde e quando destinamos para Estado ou municípos, muitas vezes esse dinheiro retorna e perdemos a oportunidade”, completou.

Célio Barbosa participou da reunião com secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas

O secretário da Senapred, Quirino Cordeiro, informou que as emendas podem ser encaminhadas para a pasta e após a liberação são enviadas diretamente para as entidades. “A forma mais imediata é mandar o recurso para a Secretaria que repassa para as instituições sem precisar do intermédio dos  governos”, disse.

Ficou acordado no encontro que nesse mês ainda o deputado do PL vai destinar recursos para comunidades terapêuticas piauienses, incluindo a Fazenda da Paz. “Surgiu uma esperança para nós. Estamos numa situação difícil, já que semana passada a Prefeitura de Teresina cortou o repasse para a nossa entidade. Até então quase metade das nossas despesas eram pagas com recursos do Governo ou da Prefeitura”, disse Célio Barbosa.

Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: