Alepi

Ziza Carvalho comemora a transferência de animais do Zoobotânico para santuários

“Governo do Estado e a Secretaria de Meio Ambiente estão de parabéns pela decisão"

Hipopótamo é uma das atrações do Parque Zoobotânico

Hipopótamo é uma das atrações do Parque Zoobotânico Foto: Moura Alves/Semar

O deputado estadual Ziza Carvalho (PT) comemora a decisão do Governo do Estado de transferir animais que atualmente vivem no Parque Zoobotânico de Teresina para santuários e habitats naturais em outros lugares do Brasil, onde esses animais possam viver livremente. O parlamentar é autor do Projeto de Lei nº 127, apresentado em junho deste ano à Assembleia Legislativa, que visa proibir o aprisionamento e a exposição pública de animais da fauna silvestre no Piauí.

“O Governo do Estado e a Secretaria de Meio Ambiente estão de parabéns pela decisão de fazer a transferência dos animais do Zoobotânico para outros recintos, santuários fora do Piauí, no sentido de acabar com o aprisionamento e a exposição pública de animais para fins meramente recreativos”, afirma Ziza Carvalho.

O parlamentar destaca que a iniciativa é reflexo de uma postura adotada em vários lugares do mundo em defesa e proteção dos animais. “Há várias leis municipais e estaduais proibindo animais em circos e a tendência do mundo é proibir também a exposição de animais silvestres para fins recreativos”, acrescenta.

PARQUE ZOOBOTÂNICO - Sobre a utilização do parque, Ziza Carvalho ressalta a importância do local para a população de Teresina. “Tudo caminha pra que a gente transforme o parque num espaço que atenda mais à questão do lazer, das brincadeiras lúdicas para crianças, dos passeios em trilhas, da prática esportiva, do ciclismo, da patinação, do próprio convívio com a flora, com aquele microclima que o Zoobotânico proporciona para Teresina, uma cidade tão quente e tão carente de áreas verdes preservadas”, pontua.

O Projeto de Lei nº 127 aguarda apreciação da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa e deve voltar a tramitar em agosto, após o recesso parlamentar.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: