Alepi

Teresa Britto reclama da falta de medicamentos na Farmácia do Povo

A deputada considera o assunto urgente, pois a falta de medicamentos coloca a vida dos pacientes em risco

Medicamentos

Medicamentos Foto: Reprodução

A deputada estadual Teresa Britto (PV) afirmou que continua recebendo muitas denúncias sobre irregularidades na distribuição dos medicamentos da Farmácia do Povo. Dois requerimentos informando a falta de medicamentos e pedindo a regularização já foram protocolados na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) neste ano.

Para a parlamentar, esse é um tema que deve ser tratado como prioridade, pois os medicamentos a serem distribuídos são de uso contínuo e caros. São pacientes que dependem desses remédios, muitas vezes, para continuarem vivos. “Os medicamentos excepcionais são importantes demais para os pacientes e não podem faltar. Renais, diabéticos, hipertensos e tantas outras doenças que são tratadas com eles, que normalmente são caros e as pessoas não podem mesmo comprar”, afirma.

A deputada considera o assunto urgente, pois a falta dos medicamentos coloca a vida dos pacientes em risco. “Infelizmente, o Governo do Estado, com seu secretário Florentino até hoje não teve sensibilidade de não deixar faltar medicamento. Ao contrário, falta direto. Pacientes tendo problemas. Pacientes transplantados de rim podendo perder o rim. Tem havido problemas sérios com diabéticos. Isso não pode acontecer, temos que respeitar os direitos desses pacientes, eles têm que ter esses medicamentos. Tem que haver planejamento: é preciso saber a quantidade de pacientes no estado do Piauí para manter essa comprar de forma contínua para não faltar, para não deixar os pacientes morrerem. Essa cobrança nós vamos continuar fazendo”, prometeu.

O primeiro requerimento que a deputada protocolou na Alepi, ainda em fevereiro, endereçado ao governador Wellington Dias e ao secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, pedia a regularização da entrega dos remédios e listava alguns que estavam em falta, como acrolimo, micofenolato de sódio, micofenolato de mofetila, cloridrato de sevelâmer, sirolimus, everolimo, ciclosporina, atorvastatina cálcica, mesalazina, sacarato de ferro, cálcio e azatioprina.

Em abril, Teresa Britto, em novo requerimento, pediu atenção especial ao medicamento Adalimumabe, usado pazra tratamento de doenças crônicas, como a artrite reumatoide, espondilite anquilosante, artrite psoríaca, doença de Crohn e hidradenite supurativa.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: