Alepi

Deputada apoia críticas de Dom Jacinto sobre restrições às igrejas

Arcebispo de Teresina criticou manutenção das restrições impostas às igrejas no Piauí

Deputada estadual Teresa Britto (PV)

Deputada estadual Teresa Britto (PV) Foto: Reprodução

A deputada estadual Teresa Britto (PV) apoiou as críticas feitas pelo arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, na semana passada, contra as restrições impostas às igrejas em todo o Piauí. Conforme o arcebispo, mais de cinco meses após o início das restrições impostas como forma de prevenir a infecção pelo novo coronavírus em todo o estado, as igrejas ainda sofrem duras restrições, diferente de outros setores, que já tiveram suas atividades liberadas para funcionamento.

A fala do arcebispo de Teresina teve grande repercussão. “As praias no final de semana, no feriado, eu não vi distanciamento, não vi máscara e não vi álcool em gel nas praias. Eu enfrentei um trânsito tremendo para chegar em Parnaíba, para participar dos 75 anos da Diocese. Eram centenas e centenas de veículos. Porque as praias não tem coronavírus e as igrejas tem?”, questionou o arcebispo.

“Nossa Igreja Católica foi a entidade que mais colaborou para a preservação da vida. Não tenho nenhuma dúvida, tenhamos coragem de chegar, de participar. Abram as portas das igrejas. Quem não pode estar dentro, fique no pátio.  Multipliquem as celebrações, mas chamem o povo católico para a Igreja. Chega! Cinco meses de jejum. Chega!”, reclamou Dom Jacinto. 

Em vídeo, a deputada Teresa Britto  se solidarizou com o arcebispo. “Venho aqui me solidarizar com o nosso arcebispo Dom Jacinto Brito, bem como com todos os bispos no Piauí. Sobre o que está acontecendo com a nossa igreja católica, que sempre contribuiu muito com a qualidade de vida das pessoas [...] Nós temos tido cuidado acerca de cumprir os protocolos. A igreja respeitou fielmente o isolamento social, mas as igrejas estão com o público muito pequeno devido a essa limitação, já não dá mais para se aceitar essa limitação, uma vez que tudo já está funcionando”, disse a deputada. 


Protocolo específico

O governador Wellington Dias (PT) iniciou, ainda no mês de junho, o diálogo com representantes das igrejas para definir um protocolo para reabertura no estado e, a partir do dia 27 daquele mês, as igrejas, templos, centros espíritas e outras religiões tiveram que seguir as exigências estabelecidas pelos órgãos de saúde e se adequaram à nova realidade para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. De acordo com o protocolo específico para as igrejas, uma das medidas adotadas foi a lotação máxima autorizada,  de 30% da capacidade.

Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: