Alepi

Seid propõe a criação de sistema para recensear pessoas com deficiência no Piauí

O deputado Franzé Silva participou de reunião virtual para tratar sobre a viabilidade de criação de sistema

O deputado estadual Franzé Silva (PT) participou de reunião virtual com a Seid

O deputado estadual Franzé Silva (PT) participou de reunião virtual com a Seid Foto: Assessoria parlamentar

A Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência do Piauí (Seid), em parceria com o deputado estadual Franzé Silva (PT), realizou, nesta quarta-feira (31), reunião virtual para tratar sobre a viabilidade de criação de sistema, por meio da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI), para realização do recenseamento sobre as pessoas com deficiência no Estado.

De acordo com o secretário da Seid, Mauro Eduardo, o Piauí carece do recenseamento, uma vez que, pelo fato de o último censo realizado pelo IBGE datar de 2010, uma década atrás, há dificuldade de informações mais precisas sobre a situação de vida das pessoas com deficiência, prejudicando o desenvolvimento e execução de programas e ações para esse público.

“O novo censo irá nos auxiliar nas ações e projetos para melhorar a vida das pessoas com deficiência no nosso Estado. O objetivo da reunião, portanto, é pensar um programa que nos dê condições de fazer o recenseamento e cadastramento de informações desse público, sabendo onde estão, quem são, se recebem algum benefício, qual idade, entre outros dados”, explicou Mauro Eduardo.

O deputado Franzé Silva – autor da lei estadual que garante a pessoas com deficiência no Piauí prioridade na vacinação contra Covid-19 (Lei Nº 7.476 /2021) – observa que, quando da execução dessa lei, o recenseamento se mostrou mais necessário, de modo a garantir ao Estado, informações claras sobre a situação desse público em todos os municípios.

“Um programa de recenseamento, por meio da ATI, sobretudo em meio à pandemia que estamos vivenciando, nos dará segurança sobre o quantitativo e qualitativo das pessoas com deficiência, de modo que poderemos expandir projetos e ações e assegurar a implementação de políticas públicas direcionadas. O censo nos dará, portanto, essa visão para um instrumento de política direcionada”, ressalta Franzé.

A promotora de Justiça Marlúcia Gomes Evaristo, da 28ª Promotoria de Justiça de Teresina, destaca que a iniciativa “é extremamente importante, pois não há como fazer política pública sem conhecer o público que necessita dessa política. Só com o censo, poderemos trabalhar a vacinação da pessoa com deficiência, a inserção mercado trabalho, reabilitação, transporte, educação etc”.

O diretor da ATI, Antônio Torres, explica que a Agência está estudando a criação de plataforma rápida e acessível, para que as pessoas possam preencher as informações com a maior quantidade de dados possível. “Essa é uma ideia maravilhosa, pioneira. A ATI está, portanto, colaborando com essa parceria e vamos criar a plataforma de um site mais rápida e acessível, para executarmos de forma adequada”.

Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: