Alepi

Regina Sousa assina o termo de desapropriação da área do Assentamento Tranqueira

"Essa é a maior obra que podemos fazer para essas famílias e para a cidade de União", avalia Franzé Silva

Franzé Silva com a governadora Regina Sousa

Franzé Silva com a governadora Regina Sousa Foto: Assessoria

A governadora Regina Sousa recebeu, na manhã de sexta-feira (27), representantes do Assentamento Tranqueira em União. Eles assinaram um termo de desapropriação da área que vivem agora, a partir disso, terão a posse definitiva da terra que já vivem há 18 anos com 96 famílias.

“Fizemos um acordo e hoje conseguimos passar essa terra para o assentamento tão simbólico de União. Conseguimos resolver e isso é bom para todos. Ees agora poderão fazer financiamento nos bancos para investir na terra de maneira produtiva”, disse a governadora Regina Sousa.
Proponente da reunião que naconteceu no dia 13 de abril, no Palácio de Karnak, e articulador de solução para o problema, o deputado Franzé Silva tem acompanhado o caso há meses.

"É necessário assegurar, o quanto antes, as terras a essas pessoas, como forma de garantir uma vida digna. Essa é a maior obra que podemos fazer para essas pessoas e para a cidade de União", avaliou o parlamentar petista.



“Hoje nós assinamos um acordo extrajudicial para dar fim a um conflito fundiário em União que já durava 18 anos e muitas pessoas vivem nessas comunidades produzindo, criando animais de pequeno porte, criando gado e eles reivindicavam a desapropriação dessa área. O processo tramitava na justiça e agora, através dessa ação, que teve a nossa governadora como principal incentivadora, as familias terão o tão sonhado direito de propriedade que é o título da terra e com isso possam viver sem nenhum receio de perder suas casas. O proprietário da área será idenizado e em junho serão entregues os títulos definitivos”, explicou o diretor-geral do Interpi, Chico Lucas.

Para Luiz da Silva Santos, líder da comunidade, foi a realização de um sonho e agora as famílias poderão, de fato, investir numa terra própria. “Vamos lutar agora por insumos, equipamentos para dinamizar nosso trabalho de agricultura familiar. Fazer projetos para buscar investimentos e articular isso com a governadora e outros líderes”, informou.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de União, Jailson Cardoso, também esteve presente no ato da assinatura e destacou o momento como importante para o movimento dos trabalhadores rurais. “É uma conquista nossa também porque estamos sempre empenhados para garantir que essas familiar tivessem acesso a esses títulos de terra. E hoje isso está se tornando realidade”, disse.


Reunião no dia 13 de abril
No dia 13 de abril deste ano, o deputado estadual Franzé Silva (PT), representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de União, e ex-prefeito de União, Zé Barros, foram recebidos pela governadora Regina Sousa, no Palácio de KAsrnak, que assinou hoje o termo de compromisso para desapropriação de área do Assentamento Tranqueira.
“Fizemos um acordo e, hoje, conseguimos passar essa terra para o assentamento tão simbólico de União. Conseguimos resolver e isso é bom para todos. Eles agora poderão fazer financiamento nos bancos, para investir na terra de maneira produtiva”, destacou a governadora.

O Instituto de Terras do Piauí (Interpi) e a Procuradoria Geral do Estado (PGE-PI) atuaram para a desapropriação.
Duas dpecadas de conflito

O conflito agrário de mais de 20 anos envolve áreas ocupadas por agricultores familiares e moradores que se sentem ameaçados de despejo, devido à insegurança jurídica da propriedade do imóvel. De acordo com o Sindicato, três áreas inspiram maior preocupação, onde vivem cerca de 1.300 famílias: as comunidades Tranqueira, Descoberta e Mundo Novo.

“É uma luta muito grande e uma das nossas principais bandeiras de luta é reforma agrária. Mais de 10 áreas estão em conflito. Os agricultores precisam da terra para cultivar e os moradores estão prejudicados por falta de resposta. Precisamos de um olhar especial para essas áreas”, afirma Fátima Nery, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de União.



Fonte: CCom/Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: