Alepi

"Água no sertão: a segurança hídrica no semiárido" abre o Projeto Mais Piauí na Alepi

"Assembleia irá fazer grandes debates, que interessem a todos", adiantou o presidente Franzé Silva

Presidente da Assembleia Legislativa, Franzé Silva (PT), na abertura do Mais Piauí

Presidente da Assembleia Legislativa, Franzé Silva (PT), na abertura do Mais Piauí Foto: ALEPI

A Assembleia Legislativa do Piauí abriu, nesta segunda-feira (8), o Projeto “Mais Piauí: a Alepi somando com você”, iniciativa inédita em que o Legislativo piauiense busca reunir as bancadas estadual e federal, bem como representantes das três esferas do executivo, para discutir assuntos de interesse do estado.

“O Mais Piauí é o momento em que a Assembleia irá fazer grandes debates, que interessem a todos. Hoje, estamos iniciando a primeira etapa desse projeto. Nós iremos realizar, antes do final de cada recesso semestral, um debate como esse”, disse o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Franzé Silva (PT), ao abrir o debate.

O tema inaugural escolhido foi “Água no sertão: a segurança hídrica no semiárido do Piauí”. Segundo Franzé Silva, a ideia é unificar as forças políticas e a sociedade civil organizada em busca de soluções para a falta de água que penaliza a população dessa região.




A abertura do evento contou com a participação do ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, o ex-governador do Piauí Wellington Dias (PT), e do senador Marcelo Castro (MDB).


Wellington Dias relatou os esforços para redução da fome no país, que passa também pela oferta de água para consumo humano e para os animais e plantações. “O Mais Piauí nos permite ter um plano. Contem com a bancada federal, com o nosso mandato e, com certeza, com o presidente Lula”, disse.




O senador Marcelo Castro falou sobre as peculiaridades do Piauí, principalmente pela irregularidade em relação à distribuição das chuvas, e destacou a relevância de estender a transposição do Rio São Francisco para o Piauí. “De todos os projetos de transposição, o mais simples, o mais prático e o mais barato é o do Piauí”, frisou.



Fonte: ALEPI

Dê sua opinião: