Alepi

Prefeitura e Câmara não aparecem na audiência pública sobre transporte coletivo

Debate foi realizado nesta nesta segunda-feira (20) na Assembleia Legislativa

Audiência pública debate o transporte coletivo em Teresina

Audiência pública debate o transporte coletivo em Teresina Foto: Thiago Amaral/Alepi

O deputado estadual Gessivaldo Isaías (Republicanos) criticou a ausência de representantes da Prefeitura Municipal de Teresina (PMT) e do vereador Dudu Borges, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público de Teresina, na audiência pública que tratou da situação do transporte coletivo na capital. O evento foi realizado nesta nesta segunda-feira (20) na Assembleia Legislativa do Estado (Alepi).

O parlamentar, que propôs a realização da audiência, afirmou que o não comparecimento dos representantes demonstra o descaso com a questão do transporte público. "Será que essa Casa não representa o povo? O transporte público é ligado ao município, mas quando um convidado não comparece, se vê o descaso", criticou.

Gessivaldo Isaías afirmou que o evento buscou discutir soluções para a atual crise que impacta o segmento. "Sempre quis estar do lado da população. Estou do lado do povo que não tem transporte para ir e voltar do trabalho. A culpa é das empresas? É do poder público? Não queremos culpados, mas a solução", explicou o parlamentar que afirmou que entrará com uma ação judicial contra a Prefeitura.

Deputados Gessivaldo Isaías e Teresa Britto na audiência pública
Foto: Thiago Amaral/Alepi
 
Há mais de um ano o setor do transporte público de Teresina registra problemas em relação à quantidade de ônibus em circulação.

Ainda durante o evento, o parlamentar propôs um desafio ao prefeito, ao governador, aos vereadores de Teresina e aos deputados estaduais. "Desafio esses representantes a deixarem seus carros em casa. Peço que eles venham trabalhar de ônibus. Peço que façam isso para sentir a dor do povo. Eu topo esse desafio", disse.

Atualmente, a Prefeitura e os empresários do setor de transporte negociam condições para o retorno integral da prestação do serviço de transporte coletivo na cidade.






Fonte: Alepi

Dê sua opinião: