Alepi

Paulo Martins pede o apoio da bancada federal ao piso nacional dos enfermeiros

Projeto estabelece o piso salarial nacional para enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem e parteira

Deputado estadual Paulo Martins (PT)

Deputado estadual Paulo Martins (PT) Foto: Thiago Amaral/Alepi

O deputado estadual Paulo Martins teve, na sessão dessa quarta-feira, 12.05, aprovado o pedido de encaminhamento à Bancada Federal do Piauí seja incluído na pauta de votação do Senado, o Projeto de Lei nº 2.564/20, que institui o piso salarial nacional para enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliar de enfermagem e para as parteiras.

Segundo o projeto, o piso deverá está baseado em valores segundo a categoria: Enfermeiros: R$ 7.315,00; Técnicos de Enfermagem: R$ 5.120,00 e Auxiliar de Enfermagem: R$ 3.657,00, com carga horária de 30 horas semanais.

Ao justificar o requerimento, Paulo Martins explica que não há dúvidas da importância dos profissionais enfermeiros para a saúde no Brasil. O parlamentar ressalta que técnicos de enfermagem e enfermeiros estão na linha de frente do tratamento contra o Coronavírus desde o começo da pandemia, demonstrando uma atuação efetiva e absolutamente corajosa.

Paulo Martins reforça que, segundo o Conselho Federal de Enfermagem, só no Sistema Único de Saúde (SUS) os profissionais de enfermagem são responsáveis por 60% a 80% das ações na Atenção Básica e 90% dos processos de saúde em geral.

“Os profissionais da enfermagem são tão importantes para a saúde, quanto os professores são para Educação. Então assim como os professores, o pessoal da enfermagem também merece ter como remuneração base o Piso Nacional”, destaca Paulo Martins.

O parlamentar lembra que o projeto já tramita no Senado Federal, mas ainda não foi incluído na pauta de votações do plenário, por manobras governistas dentro do Congresso. O parlamentar entende que a ação prática é pressionar os senadores para votar o Projeto de Lei nº 2.564/20, para que depois o Piso Nacional seja adotado por Estados e Municípios.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: