Alepi

MP vai entrar com ação contra venda de vales-transportes pelo Setut

A denuncia coloca que os vales estão sendo comercializados sem prestar seerviço aos usuários

A decisão da representante do MP foi tomada após reunião

A decisão da representante do MP foi tomada após reunião

Em reunião por videoconferência, nesta quarta-feira (3), provocada pelo deputado estadual Franzé Silva (PT) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Piauí (Sintetro), a promotora de justiça Graça Monte, da 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, informou que irá mover ação para coibir a venda de vales-transportes e vales-estudantis que vem sendo feita pelo Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

O Sintetro tem denunciado que o Setut está faturando com a venda dos vales sem prestar serviço aos usuários, posto que o sistema de transporte coletivo encontra-se desde 8 de fevereiro em greve. Além disso, o Sindicato reclama que o Setut não está cumprindo com o acordo coletivo firmado com os trabalhadores; protesta contra o atraso de salários, redução salarial, falta de ticket alimentação e plano de saúde e da demissão de 50% dos cobradores.

O deputado Franzé Silva afirma que é necessário ver o “lado dos motoristas e cobradores, que estão em situação delicada, passando fome, e lado dos usuários, que estão pagando mais caro, esperando mais tempo nas paradas e com um sistema sem qualidade”. O parlamentar assinala, também, que é importante que o Ministério Público acione o Setut para que a Justiça obrigue o órgão a cumprir o acordo coletivo feito com os trabalhadores.

A promotora Graça Monte observa que trata-se de “ato de ilegalidade” a prática do Setut e que ingressará com ação ainda hoje, para tentar sanar a situação. “O transporte coletivo é um serviço essencial e, infelizmente, a população e os trabalhadores estão pagando caro, diante da atual situação”, analisa. Graça Monte pondera que 70% da frota de ônibus deverião circular em horário de pico, o que não tem acontecendo.


Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: