Alepi

“Mais Piauí: Água no Sertão” reúne ministérios, bancadas e técnicos na Assembleia

Além do ministro Welllington Dias, representantes dos ministérios do Planejamento e da Integração vieram a Teresina

Senador Marcelo Castro (MDB-PI)

Senador Marcelo Castro (MDB-PI) Foto: ALEPI

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou nesta segunda-feira (8) o seminário “Mais Piauí: Água no Sertão” para debater a possibilidade de haver interligação do rio São Francisco com as nascentes dos rios Canindé e Piauí. Estiveram na Casa, entre diversos convidados, Wellington Dias, ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome; e o senador Marcelo Castro (MDB).


 O senador garantiu que é viável a transposição do São Francisco para o Piauí, que seria o Eixo Oeste, e a importância do projeto. “Essa ideia da transposição das águas do rio São Francisco aqui para o Piauí seria uma ideia para trazer água para as cabeceiras do rio Piauí, que passa em São Raimundo Nonato, e para as cabeceiras do rio Canindé, que passa em Paulistana. Então o Piauí só tem esses dois pequenos problemas que, sendo resolvido, 100% do problema de água do Piauí estaria resolvido”, garantiu.

 



O ministro Wellington Dias afirmou que o Governo Federal retomou o programa Água Para Todos, o que demonstra sua preocupação com o tema. “Garantir a segurança hídrica, as condições de água para o consumo humano, para o consumo animal, para as aves, para garantir produção, será um desafio cada vez maior. E acho que a Assembleia Legislativa fazer aqui essa discussão com apresentações, ela abre um conhecimento mais profundo. E eu acho que essa pauta, assim, ela entra na prioridade”, explicou.


 


O deputado estadual B. Sá (PP) defendeu que a classe política tem que ser mobilizada para que, da mesma forma que outros estados conseguiram as obras da transposição, a região semiárida do Piauí tenha também acesso à água. “A gente tem que começar a lutar por esses projetos estruturantes de grande monta que, hoje, o Piauí está a fazer de maneira tardia, sendo que os estados da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Ceará, todos eles fizeram o dever de casa lá atrás, mobilizaram a classe política, mobilizaram a sociedade e foram atendidas pela transposição do rio de São Francisco”, afirmou.

 



Histórico
– A transposição do São Francisco foi realizada em dois Eixos: o Leste e o Norte. O ex-deputado federal Jesus Rodrigues (PT) explicou que o Eixo Oeste nem teve o estudo técnico realizado, o que foi tentado em 2013. Segundo o político, o início do projeto foi em 2003, com a ideia de integrar o São Francisco ao rio Piauí.

 

“Eu vou dizer o seguinte: a vantagem para o Estado, se você comparar o perímetro irrigado de Guadalupe ou o perímetro irrigado de Petrolina e Juazeiro, é o que o Piauí pode ser, se tiver água. É um perímetro irrigado inteiro, não só um perímetro irrigado, mas o Piauí inteiro produzido”, disse.


 

 

Fonte: ALEPI

Dê sua opinião: