Alepi

João Mádison critica as medidas de restrição impostas pelo novo decreto do governo

Segundo o deputado emedebista, Teresina paga um preço alto demais pela crise financeira provocada pela pandemia

João Mádison afirma que nada está decidido no MDB

João Mádison afirma que nada está decidido no MDB

O deputado estadual João Mádison (MDB) criticou a adoção das novas medidas restritivas, anunciadas ontem (22) pelo  governador Wellington Dias (PT). De acordo com o parlamentar, poderiam ser adotadas  medidas alternativas como horários diferenciados para o comércio, por exemplo, ao invés do fechamento total com o proposto.

Segundo João Mádison, Teresina paga um preço alto demais pela crise financeira provocada pela pandemia. “75% de vagas de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupadas na capital estão atendendo pessoas do interior do Estado. Teresina está tomando precauções. Não é justo que a cidade pague esse preço. De um modo geral, o comércio poderia funcionar de 9h às 16h, como os bancos. Mas parar tudo novamente, inclusive as escolas, não é justo”, avalia o parlamentar.

O anúncio do lockdown parcial no Piauí acontece após a ocupação de leitos de UTI chegar a mais de 90%, provocando risco de colapso na saúde.

João Mádison alertou para o possível aumento de problemas sociais, em decorrência da adoção do lockdown. “Temos que buscar uma saída para isso . O decreto não vai resolver. Isso vai criar mais pessoas passando fome porque o desemprego está campeando. Se não têm o auxílio, as pessoas morrerão de fome”, alertou, referindo-se ao auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal no ano passado.

O decreto referente às novas medidas restritivas ainda não foi publicado no Diárioo Oficial do Estado. De acordo com a redação provisória do documento, ficarão suspensas até o dia 7 de março todas as atividades presenciais, com exceção dos serviços essenciais. O governo reúne o COE ampliado no final da tarde para reavaliar o decreto.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: