Alepi

João de Deus anuncia investimentos de R$ 300 milhões na alfabetização no Piauí

Programa Pro Alfabetização vai alfabetizar 200 mil crianças e adultos em dois anos

Deputado estadual João de Deus (PT)

Deputado estadual João de Deus (PT) Foto: Thiago Amaral/Alepi

O deputado João de Deus (PT) comemorou o lançamento do programa Pro Alfabetização, que vai alfabetizar cerca de 200 mil crianças e adultos em dois anos. “Teremos um investimento da ordem de R$ 300 milhões. Isso vai garantir a geração de ocupação de mão de obra de professores e monitores que chega aí a 10 mil pessoas que vão entrar nesse mutirão, nesse programa”, disse.

Segundo o deputado, cada um dos estudantes vai receber um auxílio mensal no valor de R$ 400. “São cerca de R$ 80 milhões para pagar uma espécie de uma bolsa para que o aluno se sinta motivado. Além do mais, eles vão receber alimentação escolar e vão receber também, nos casos de deficiência visual, quem tenha problema de enxergar com dificuldade, poderá ter acesso a um programa de fornecimento de óculos”, afirmou.

O destaque da proposta fica para a alfabetização na idade certa, mas também para que jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de ler e escrever quando crianças possam agora fazer isso com incentivo do governo estadual em parceria com as prefeituras municipais. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2018, a última realizada, o Piauí possui 421 mil analfabetos, sendo 58 mil em Teresina.

João de Deus ressalta ainda que toda a rede estadual de Educação de Jovens e Adultos (EJA) está sendo ampliada para que as essas pessoas possam continuar ampliando seus níveis de escolaridade para que tenham mais oportunidade de trabalho e emprego e chegar até a universidade.

O projeto “Alfabetização na Idade Certa” é uma iniciativa do Governo do Estado para que todas as crianças piauienses cheguem ao final do segundo ano do ensino fundamental com o domínio das competências de leitura, escrita e letramento matemático e, consequentemente, com habilidades para avançar nos estudos de forma autônoma.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: