Alepi

IBGE informa à Alepi que irá corrigir Atlas Escolar somente após decisão do STF

a correção deve ser feita apenas após o resultado da ação que tramita no Supremo

Atlas Geográfico Brasileiro do IBGE

Atlas Geográfico Brasileiro do IBGE Foto: Reprodução

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) recebeu a resposta do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a um requerimento aprovado de forma unânime no Plenário da Casa.

A matéria, de autoria do presidente Franzé Silva (PT), solicita informações sobre a inclusão da área de litígio entre Piauí e Ceará no território cearense na edição do Atlas Geográfico Escolar publicada em abril deste ano.

A resposta, no entanto, prevê que a correção deve ser feita apenas após o resultado da ação que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) acerca do tema. “Conforme orientação da Procuradoria Federal no IBGE, a Instituição aguardará o pronunciamento definitivo do STF quanto à mencionada ação, e, a partir desse desfecho, procederá conforme as diretrizes judiciais pertinentes”, responde o IBGE.


Presidente da Alepi, deputado estadual Franzé Silva (PT)
Foto: ALEPI


A aprovação do requerimento de Franzé Silva em Plenário aconteceu no dia 23 de abril. No documento enviado, o presidente afirma que “a publicação que ignora a área de litígio é um grande desserviço para os estudantes”. Ele acredita que crianças e adolescentes piauienses vão estudar a partir de um material escolar que não condiz com a realidade.

O IBGE já havia sido provocado pelo mesmo tema por meio de um requerimento de autoria do deputado Dr. Gil Carlos (PT) aprovado em Plenário no final de 2023. O parlamentar questionou o motivo de, desde o Censo de 2000, a Instituição ter deixado de discriminar em seus resultados a população da área de litígio. Este requerimento, entretanto, ainda não foi respondido.



Outra resposta

A Agespisa (Águas e Esgotos do Piauí) também respondeu à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) nesta semana, ao requerimento do deputado Ziza Carvalho (PT) que cobrava soluções para o problema de abastecimento em Simplício Mendes. Segundo a empresa, ela fez diversos reparos e, desde a última terça-feira (4), a situação deve estar normalizada.


O trabalho foi feito com a função de corrigir o fornecimento de água na parte mais alta da cidade. Na resposta, a Agespisa informa que fez a limpeza de todos os poços e substituiu parte da tubulação nos principais. Na estrutura de maior vazão, no entanto, foi preciso fazer a substituição do conjunto motor bomba para garantir um maior fornecimento.

O ofício foi aprovado de forma unânime no Plenário Waldemar Macêdo na sessão do dia 23 de abril.No requerimento, Ziza Carvalho afirma que “ O município está há dias sem abastecimento, causando transtornos à população.


Deputado estadual Ziza Carvalho (MDB)
Foto: ALEPI

Fonte: ALEPI

Dê sua opinião: