Alepi

Deputado Carlos Augusto defende a prioridade para vacinação de policiais militares

Desde o início da pandemia, muitos policiais militares foram infectados e alguns morreram

Deputado estadual Coronel Carlos Augusto (PL)

Deputado estadual Coronel Carlos Augusto (PL) Foto: Thiago Amaral/Alepi

O deputado estadual Coronel Carlos Augusto (PL) disse que desde o início da pandemia do coronavírus foi detectado um grande número de policiais infectados e, infelizmente, com um grande número de óbitos no meio da Polícia Militar e das forças de segurança do Piauí e do Brasil e, por essa constatação, apresentou um requerimento pedindo prioridade para a vacinação da categoria por entender que o vírus é, primordialmente, de contato. Ele está comemorando o fato da vacinação dos policiais ter começado na semana passada.

“A Polícia Militar não trabalha em home office. Nós trabalhamos em grupos dentro de uma viatura e mantendo contato com a população, encaminhamos pessoas às delegacias, voltamos para as nossas casas. Temos esse contato externo e ainda levamos o vírus para as nossas casas. Preocupado com isso apresentei um requerimento que foi aprovado por todos os deputados” disse ele.

Carlos Augusto informou que em seguida marcou uma audiência com o governador Wellington Dias para mostrar a ele a necessidade dessa medida de imunização não só para o Piauí mas para todo o Brasil. “No caso do Piauí nós estamos bem atrás na vacinação na vacinação, atrás até da população carcerária. Nada contra, mas a Polícia que está na rua, que está dando cumprimento aos decretos dos governantes, ela tem que ser imunizada prioritariamente”, opina.

O parlamentar afirma que desde a semana passada foi iniciada em todo o País a vacinação dos policiais militares e no Piauí, apenas na capital, já foram vacinados cerca de mil policiais e mais de 500 no interior. “Nós aguardamos que todos os policiais sejam vacinados porque há uma grande contaminação no nosso meio e os agentes públicos que tem o dever de combater e fiscalizar termina sendo um agente disseminador levando o vírus para as suas casas, para outras pessoas”, afirmou.

“Mas, o que aguardamos mesmo é que todos os brasileiros sejam imunizados. Aqueles que estão nos postos de gasolina, de segurança privada, nos supermercados, nas oficinas, os nossos pais, nossos avôs, os nossos idosos, a solução mesmo é vacinar todas as pessoas do nosso Piauí, do nosso Brasil inteiro”, encerrou.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: