Alepi

Convocação de concursados excedentes da PM-PI depende de parecer da PGE

A informação foi prestada pelo deputado Coronel Carlos Augusto durante audiência pública

Audiência pública na Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa

Audiência pública na Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa Foto: Thiago Amaral/Alepi

A convocação dos 565 candidatos que foram classificados e considerados excedentes no concurso público realizado pela Polícia Militar do Estado do Piauí depende de um parecer que será encaminhado nos próximos dias pela Procuradoria Geral do Estado para a governadora Regina Sousa.


A informação foi prestada nesta quarta-feira (15) pelo deputado Coronel Carlos Augusto (MDB) durante audiência pública realizada na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado para debater a situação dos excedentes e a formação de um cadastro de reserva dos classificados, atendendo requerimento do deputado Marden Menezes (Progressistas).


Ao abrir a audiência pública realizada no plenarinho da Assembleia Legislativa, que ficou lotado de concursados, o Coronel Carlos Augusto, que é vice-presidente da Comissão de Segurança Pública, convidou para a mesa o vereador Ismael Silva (PSD), o coronel José Soares de Alencar Filho, representante do Comando Geral da PM-PI, e o capitão Flauberth Rocha, representante da Associação dos Bombeiros Militares do Piauí.


SIMPATIA - Carlos Augusto disse que conversou com a governadora Regina Sousa sobre a convocação dos concursados excedentes e a chefe do Poder Executivo manifestou simpatia pela reivindicação dos classificados no certame da PM-PI. “Ocorre que a governadora está aguardando um parecer da Procuradoria Geral para tomar uma decisão sobre o assunto”, declarou ele, lembrando que o número de convocados foi aumentado de 650 para mil.


Em seguida, o deputado Marden Menezes defendeu o fim da cláusula de barreira incluída no Edital do Concurso que exclui os excedentes, defendeu a formação de um cadastro de reserva com os todos os classificados e disse que apresentou uma proposição na Assembleia Legislativa para evitar que ocorra limite de convocados nos próximos concursos.


Marden Menezes declarou que a audiência pública realizada na Comissão de Segurança Pública tinha o objetivo de sensibilizar o Governo para a situação dos excedentes que, em sua opinião, lutam por uma causa justa.


O coronel José Soares disse que o objetivo da PM-PI é a convocação do “máximo de candidatos classificados”, que acredita na possibilidade de ocorrer um incremento na chamada dos aprovados e que considera muito importante a pressão que está sendo feita neste sentido.


O vereador Ismael Silva disse que a não convocação dos classificados excedentes representará um grande prejuízo para a população piauiense, pois impedirá a melhoria no setor de segurança pública que precisa de um maior número de policiais militares.


VAGAS - A audiência pública teve a participação de classificados no concurso, dentre eles, o senhor João Brito que defendeu a convocação dos excedentes afirmando que existem 3.245 cargos vagos para soldado na PMPI. Respondendo uma indagação sobre a convocação de todos os candidatos que foram empatados na classificação, o coronel José Soares disse que a PM-PI seguirá todos os critérios de desempate previstos no edital do concurso.


O representante da Associação dos Bombeiros Militares do Piauí, capitão Flauberth Rocha, disse que “estamos a favor do incremento dos excedentes entre os convocados do concurso”.


No final da audiência pública, o deputado Marden Menezes fez um apelo aos excedentes para que esperem uma decisão da governadora Regina Sousa antes de entrar com alguma ação na Justiça pedindo que sejam convocados pelo Governo do Estado.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: