Alepi

Assembleia Legislativa discute a violência contra a mulher em audiência pública

A iniciativa da discussão do tema foi da deputada estadual Simone Pereira

Alepi debate a violência contra mulher

Alepi debate a violência contra mulher Foto: ALEPI

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou audiência pública para discutir a violência contra a mulher e apresentar o projeto Banco Vermelho, que será implementado no estado. A iniciativa da reunião foi da deputada Simone Pereira (MDB) e também contou com a presença das fundadoras do Instituto Banco Vermelho, Andrea Rodrigues e Paula Limongi.

 

O Instituto Banco Vermelho luta pela redução total de feminicídios, com ações educativas de prevenção, e possui também canais de ajuda para mulheres em situação de violência. “A gente, enquanto Instituto, tem falado em empoderar cada pessoa, porque você tem o poder de salvar uma vida, você pode fazer isso”, explicou Andrea Rodrigues.

 

A senadora Jussara Lima (PSD), que pleiteou junto a Simone Pereira a realização da audiência pública, explicou que são instalados bancos vermelhos em locais públicos “com mensagens de reflexão e informação sobre a iniciativa, indicação de canais de ajuda e denúncia”.

 

A intenção do Instituto, com o apoio do Legislativo e do Executivo do Piauí, é instalar bancos vermelhos nas cidades do estado. “Ele te chama pra sentar, refletir, levantar e agir. [...] Nós falamos de todo tipo de violência através desse banco. Tem frases como: se ele controla sua conta bancária, te impede de ver sua família, isso é violência”, afirma.

 

Simone Pereira disse que a audiência faz parte das discussões que ela tem levado à Alepi e que é fundamental que as pessoas conheçam a rede de apoio às mulheres. A parlamentar acrescentou que, como está em análise a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2025, os debates acontecem em bom momento para que seja pleiteada mais verba para políticas em defesa das mulheres.

 

A secretária de Estado das Mulheres do Piauí (Sempi), Zenaide Lustosa, e a defensora pública geral em exercício, Verônica Acioly, concordam que é necessário ampliar o orçamento para mais ações. “O enfrentamento à violência contra a mulher é realmente levado a sério quando o orçamento público é destinado a essa causa”, disse a defensora.

 

Paula Limongi, cofundadora do Instituto, mostrou que há apoio ao projeto vindo de vários estados, como Pernambuco, Tocantins, Maranhão, Espírito Santo, São Paulo e Distrito Federal; e os próximos vêm do Piauí, Ceará, Bahia e Mato Grosso. Entre as ações do Instituto, ela destacou a aprovação de projetos de lei, o Banquinho Vermelho, o Banco nas Escolas e a realização de caravanas.

 

Também estiveram presentes na audiência pública, a primeira-dama do Piauí e coordenadora do Pacto pelas Crianças do Piauí, Isabel Fonteles; a secretária de Articulação Política do Ceará, Augusta Brito (PT); o deputado federal Júlio César (PSD); e o delegado Jetan Pinheiro, representando a Secretaria de Segurança do Piauí.

 

Fonte: ALEPI

Dê sua opinião: