Alepi

Alunos órfãos podem ter prioridade na matrícula em escolas públicas de tempo integral

O deputado estadual Aldo Gil (PP) propôs a prioridade de matrícula para orfãos nas escolas do Estado

Deputado estadual Aldo Gil (PP) no Plenário da Alepi

Deputado estadual Aldo Gil (PP) no Plenário da Alepi Foto: Thiago Amaral/Alepi

O deputado estadual Aldo Gil (PP) propôs, no Projeto de Lei 367/23, que alunos órfãos tenham prioridade de matrícula em escolas públicas de tempo integral da rede estadual. A proposição foi protocolada na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) em 5 de dezembro e, atualmente, aguarda parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).


O parlamentar explica que “quando há o falecimento do pai, mãe ou tutor da criança, a renda familiar tende a diminuir e, consequentemente, é comum que o responsável pelo menor tenha que ir trabalhar mais para poder arcar com as despesas”. Ele argumenta que o aluno estar em escola de tempo integral ajuda tanto a nova dinâmica familiar quanto o órfão em seu desenvolvimento escolar e social.

Na Alepi, em 2022, a então deputada Teresa Britto propôs a instituição da Política Estadual de Proteção e Atenção Integral aos Órfãos e Órfãs do Feminicídio e, em 2021, ela elaborou Indicativo de Projeto de Lei sugerindo a criação do Programa de Assistência às Crianças e Adolescentes Órfãos pela Covid-19.

O secretário de Estado da Educação, Washington Bandeira, disse que em 2022 o Piauí possuía 96 escolas de tempo integral e que, em 2024, serão 351. O governador Rafael Fontes (PT) afirmou que, dos 224 municípios piauienses, 178 terão essas escolas de tempo integral e que 69 mil alunos do ensino médio vão ser matriculados nessas unidades.

 

 

 

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: