POLITICANDO

Piauí foi o único estado do Nordeste a reduzir a pobreza entre a 2019 e 2021

Dados são do Mapa da Nova Pobreza divulgados pela Fundação Getúlio Vargas

Governadora do Piauí, Regina Sousa, discursa no Corpo de Bombeiros

Governadora do Piauí, Regina Sousa, discursa no Corpo de Bombeiros Foto: CCom

O Piauí é o único estado da Região Nordeste que conseguiu reduzir a pobreza entre a população no período de 2019 a 2021. Nos demais estados a pobreza cresceu no mesmo período, assim como no Brasil, que registrou alta de 4,54 pontos percentuais. Os dados são do Mapa da Nova Pobreza divulgado, nessa quarta-feira (29), pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) Social. São consideras pobres pela FGV pessoas com renda domiciliar per capita de até R$ 497 mensais.

A pesquisa alerta que no período, o número de pobres no Brasil cresceu em 9,6 milhões de pessoas entre 2019 e 2021, alcançando 62,9 milhões de brasileiros, ou 29,6% da população. A mudança da pobreza de 2019 a 2021 por Unidade da Federação revela que o maior incremento se deu em Pernambuco (8,14 pontos percentuais). Além do Piauí, que reduziu a pobreza em 0,03 pp, o único outro estado que também registrou queda foi Tocantins (0,95 pp).

A governadora Regina Sousa destaca que esse estudo mostra que houve um investimento por parte do estado em ações que promovem o desenvolvimento econômico dos municípios. “Isso é bom. Significa que a renda do piauiense cresceu. A gente ultrapassou alguns estados e não figura mais nessa lista dos 50 menores PIB per capita”, completa a gestora.

O estudo dividiu o Brasil em 146 estratos geográficos, dentro de todas as unidades da Federação. Nos três estratos em que o Piauí foi dividido, houve redução da pobreza na região “Baixo Parnaíba do Piauí”, de 56,05% da população em 2019 para 49,81% em 2021; e também na região Alto Parnaíba e Chapadas do Sul do Piauí (queda de 55,59% dos piauienses para 52,88%, respectivamente).

Em relação ao total da população, o Piauí foi o segundo estado da Região Nordeste com menor índice de pobreza, chegando a 45,81% dos habitantes, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, que registrou 42,86% de pobres. No vizinho estado do Maranhão, por exemplo, 57,90% da população é considerada pobre.

Entre as diversas medidas para combater a pobreza e acelerar o desenvolvimento do Piauí, estão a atração de novos investimentos, com instalação de empresas, o crescimento das exportações agrícolas, a liberação de crédito para incentivar o empreendedorismo (por meio da Piauí Fomento), o apoio incessante à agricultura familiar, e também o lançamento do Cartão Sasc Emergencial e Cartão PRO Social.

O Cartão Sasc Emergencial beneficiou 15 mil famílias piauienses em 2021, com um benefício de R$ 200 durante dois meses, representante uma injeção de R$ 6 milhões na renda dessas famílias. O recurso foi 100% estadual.

Já o Cartão PRO Social, lançado em dezembro de 2021, consiste num cartão com crédito de R$ 200 durante seis meses, para 8 mil famílias vulneráveis.

“Conseguimos reduzir a pobreza, mas precisamos fazer muito mais até reduzi-la a zero ou próximo disso. Isso só será possível com ajuda do Governo Federal, pois a economia piauiense depende da brasileira”, explica a governadora.

Fonte: Redação

Dê sua opinião: