PODER

Tribunal de Justiça vai realizar concurso público para 100 vagas de analista

Serão oferecidas vagas para os cargos de analista administrativo e analista judiciário

Desembargador José Ribamar Oliveira, presidente do Tribunal de Justiça do Piauí

Desembargador José Ribamar Oliveira, presidente do Tribunal de Justiça do Piauí Foto: TJ-PI

O Tribunal de Justiça do Piauí vai publicar em março o edital do concurso público para contratação de 100 novos servidores efetivos para os cargos de analista administrativo e analista judiciário.

O presidente do TJ-PI, desembargador José Ribamar Oliveira, explicou, nesta sexta-feira (14), durante um café da manhã oferecido ao prefeito de Teresina, José Pessoa Leal (MDB), na antiga sede do TJ-PI, no Palácio da Justiça, no bairro Cabral, que a comissão encarregada de coordenar o concurso já está elaborando a minuta do edital e que a próxima etapa será a definição da instituição que vai realizar as provas.

"Será um concurso para servidores com cerca de 100 vagas para analista administrativo e judiciário e já estamos com a comissão formada e vamos escolher a instituição”, adiantou.


Orçamento vem diminuindo a cada ano

O desembargador José Ribamar Oliveira criticou o valor do orçamento destinado ao Judiciário em 2022, que não chega a R$ 700 millhões, de acordo com a proposta orçamentária aprovada em dezembro na Assembleia Legislativa. A expectativa era de que o TJ-PI tivesse pelo menos R$ 850 milhões, inclusive para a realização de concursos e para a nomeação de 12 novos juízes, que acabou reduzida para apenas oito, por conta da falta de verbas.

“O Tribunal de Justiça a cada ano vem descendo no gráfico do seu orçamento, ao invés de acompanhar os rendimentos oferecidos pelo Estado, ou seja, a arrecadação do Estado, que vem em uma linha, a do Tribunal vem descendo. Então, nós estivemos com o governador [Wellington Dias] e secretário [de Fazenda, Rafael Fonteles] e foi mantido apenas a correção da inflação, mas sabemos que  haverá necessidade de um dispêndio maior”, previu.


Diretoria da OAB-PI vai ao TJ-PI
Na manhã de quinta-feira (13), o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador José Ribamar Oliveira, recebeu a nova diretoria da OAB-Seccional do Piauí. O presidente da OAB-PI, Celso Barros, e demais membros da diretoria foram convidar o presidente do Judiciário piauiense para a cerimônia de posse da nova gestão, que acontece às 19 horas desta sexta-feira (14). Na ocasião, a equipe de advogados e advogadas aproveitou para levar ao desembargador Oliveira algumas solicitações da classe advocatícia.

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí destacou que o tribunal segue trabalhando para melhorar a prestação jurisdicional e apoia os projetos e iniciativas da OAB-PI, onde muitas ações em parceria entre os dois órgãos já acontecem.

“É uma grata satisfação receber a nova diretoria da OAB-PI e saber que podemos contar com a presença e apoio desses advogados e advogadas no decorrer das nossas atividades e que também podemos contribuir para as melhorias na realidade do trabalho dos advogados e advogadas piauienses, através de ações e projetos em parcerias com a Ordem”, pontuou o desembargador Oliveira.

O presidente da OAB-PI, Celso Barros, pontuou que as pautas trazidas na reunião têm tido muitos avanços dentro do diálogo franco que a instituição tem com o TJ-PI.

“Trouxemos pautas que estão em continuidade como desagregação de comarcas, nomeação de juízes, redefinição das competências dos juizados principalmente da capital, as turmas recursais e vários outros assuntos de interesse dos advogados piauienses, assim também como da população em geral. Fomos prontamente ouvidos pelo desembargador Oliveira que irá analisar as demandas trazidas por nós”, pontuou o presidente da OAB-PI.

Presente na reunião, o diretor-tesoureiro da OAB Piauí, Einstein Sepúlveda, destacou que a ocasião foi de suma importância, pois a OAB-PI pode levar alguns anseios e pleitos da advocacia e também da sociedade piauiense para o TJ-PI.

“Trouxemos assuntos como a criação na comarca de Teresina de uma unidade específica para o direito das sucessões. Sabemos que é uma demanda crescente e que há unidades em que se trabalham o direito de família e de sucessões cumulativamente. Fomos atentamente ouvidos pelo presidente do tribunal a respeito desse pleito e também de outras solicitações, como por exemplo a criação de turmas criações dos juizados. Temos a pretensão de apresentar uma turma recursal no norte e outra no sul do Piauí. Com isso, teremos uma vazão processual muito mais célere, uma produtividade maior”, disse o advogado.

Fonte: TJ-PI

Dê sua opinião: