PODER

Teresina vai ficar a pé mais uma vez: motoristas e cobradores param à meia-noite

Novamente quem paga o pato é a população, que vai ficar a pé pela “milésima vez” só este ano

Motoristas e cobradores novamente em greve

Motoristas e cobradores novamente em greve Foto: Gorete Santos/TV Cidade Verde

Nem pagando os donos de empresas de ônibus, nem ameaçando subalternos, o "impaciente" prefeito de Teresina, José Pessoa Leal, o Dr. Pessoa (MDB),  consegue resolver o problema crônico do transporte coletivo urbano na capital. Reunidos em assembleia geral na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), no Centro, na manhã desta quarta-feira (27), motoristas e cobradores decidiram parar por tempo indeterminado.

A nova greve começa a partir da zero hora de quinta-feira (28) e novamente quem paga o pato é a população, que vai ficar a pé pela “milésima vez” só este ano.

Se antes as categorias cobravam o pagamento dos salários, que estavam atrasados, agora os trabalhadores que fazem o sistema de transporte de Teresina reclamam outros direitos, como a assinatura da convenção coletiva, que estabelece o valor de R$ 2.039,00 para o salário do motorista e R$ 1.288,00 para cobrador, além do ticket alimentação, plano de saúde e a jornada de trabalho de 7h20.

"A gente já tinha tirado esse encaminhamento há 15 dias atrás. Naquela assembleia, apontamos para a necessidade de paralisações para que a sociedade compreendesse o nosso lado. No acordo que a prefeitura fez com o Setut, ficamos de fora. Estamos na mesma situação, com nossos salários totalmente fora da convenção, jornada de trabalho totalmente desregulamentada. Isso nos levou a tomar a decisão por unanimidade. Temos que lutar pela nossa convenção, porque ela que vai dar a segurança do nossos salários, dos nosso benefícios”, argumentou o presidente do Sintetro, Ajuri Dias.

“Estamos de greve a partir de amanhã, com esse objetivo principal. Na hora que assinarmos a convenção coletiva de trabalho, suspendemos qualquer movimento", avisou.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: