PODER

"Bolsonaro vai dar dinheiro para taxista, caminhoneiro, porque acha que povo é gado"

"Se pensa que vai comprar voto, no dia 2 de outubro a gente tem que dar uma banana para ele"

Luiz Inácio Lula da Silva em Teresina:

Luiz Inácio Lula da Silva em Teresina: "o povo não é gado" Foto: Divulgação/Assessoria

Se era para acordar, resgatar a autoestima dos brasileiros, acreditar na "volta por cima", o PT do Piauí conseguiu na tarde/noite desta quarta-feira (3). O Partido dos Trabalhadores levou 50 mil pessoas para um mesmo espaço - diga-se bem distante para quem não tem carro, de quem tem carro e não pode pagar o preço caro do combustível - para o pontapé da campanha de Rafael Fonteles a governador e de Wellington Dias a senador.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva veio a Teresina nesta quarta-feira (3) e misturou ficção e realidade num discurso carregado de críticas ao discurso "fanfarrão" de Bolsonaro, segundo o petista.

Lula citou a novela, o personagem "Bruaca", para criticar a violência contra a mulher e alfinetar o seu principal adversário na corrida pela volta ao Palácio do Planalto.



Os trechos da fala do ex-presidente Lula no parlamerntopiaui.com.br:

O povo não é gado

“Ele aumentou para R$ 600 o auxílio emergencial. Ele vai dar dinheiro para taxista, caminhoneiro, porque ele acha que o povo é gado. Temos que dizer para Bolsonaro: coloca o dinheiro na nossa conta, que vamos pegar o dinheiro e comprar o que comer, vestir. Se ele pensa que esse dinheiro vai comprar voto, no dia 2 de outubro a gente tem que dar uma banana para o Bolsonaro”.

Situação pior que em 2003

"O Brasil hoje está pior do que quando eu cheguei em 2003. Tem mais desemprego, a gasolina está mais cara, a carne desapareceu da mesa e esse país está desgovernado. É sabendo que a situação está pior que eu estou aqui. Não se preocupem com os meus 76 anos de idade. As pessoas só envelhecem quando não tem causa e a minha é outra vez provar ao mundo e a elite que o povo vai comer 3 vezes ao dia e ter aumento de salário. Nesse país não vai morrer uma criança de desnutrição", afirmou.

Adversário fanfarrão

"Não acreditem na fanfarrice da mentira sobre as urnas. Ele está com medo é do Piauí. Estou preparado para recuperar esse país. Estamos prontos para ganhar as eleições".

580 dias de prisão

"O que fizeram comigo em 580 dias eu não tenho ódio. Um apaixonado não quer vingança, quer amor. A gente vai parar com a venda de arma e distribuir livro. A gente vai dar comida ao invés de cavar covas", acrescentou.
"Minha vinda aqui hoje é para dizer ao Piauí que aqui eu tenho candidato a governador e é Rafael Fonteles. Com a eleição do Rafael vamos fazer outra revolução. Vamos voltar a conquistar o respeito do mundo. Eu quero que o pobre deixe de ser pobre", disse.



Resgate de símbolos nacionais

"A minha emoção maior foi uma coisa que vocês fizeram aqui. Eu vou contar uma coisa que vocês fizeram aqui que me fez derramar lágrimas. O povo do Piauí hoje deu uma demonstração de grandeza porque vocês recuperaram a bandeira nacional para o povo brasileiro. Obrigado pelo gesto. Vou guardar essa imagem para o resto da vida. Que outros estados repitam isso e cantem o hino. "Essa apresentação da bandeira do Brasil e do Piauí demonstra que nós não vamos permitir que o genocida que está lá em Brasília... Esse genocida não pode se apoderar da bandeira brasileira porque a bandeira é do povo brasileiro.", ressaltou o presidenciável

Quero amor

"Sou um homem sem ódio, sou homem que não quero vingança. Um homem apaixonado não quer vingança, quer amor. Vocês acham que vou ter tempo de ficar brigando?".


Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: