PODER

Morre de câncer em Teresina o ex-governador Guilherme Cavalcante de Melo aos 68 anos

Guilherme tinha câncer no cérebro, doença descoberta em dezembro do ano passado

Ex-governador do Piauí, Guilherme Cavalcante de Melo

Ex-governador do Piauí, Guilherme Cavalcante de Melo Foto: Thiago Amaral/Alepi

Morreu na madrugada desta quinta-feira (22), no Hospital de Terapia Intensiva (HTI), em Teresina, o ex-governador do Piauí, Guilherme Cavalcante de Melo, aos 68 anos. “Guilhermão”, como era chamado pelos amigos, tinha câncer no cérebro, doença descoberta em dezembro de 2020.  .

Guilherme Melo chegou a ser operado em São Paulo, mas o quadro de saúde dele se agravou nos últimas semanas, evoluindo para o coma.  A morte foi confirmada pelos médicos na madrugada de hoje.

O velório será no Salão Nobre Deputada Francisca Trindade, da Assembleia Legislativa, mas restrito à família. O enterro acontece no final da tarde, em Teresina.

Guilherme Melo deixa uma filha, do casamento com Iracema Portela, e uma neta.

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, deputado estadual Themístocles Filho (MDB) divulgou Nota de Pesar e decretou Luto Oficial de três dias no Poder em homenagem ao ex-governador Guilherme Melo.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), divulgou Nota de Pesar e decretou Luto Oficial de três dias no Estado pela morte do ex-governador do Piauí, Guilherme Cavalcante de Melo, na madrugada desta quionta-feira (22), em Teresina.

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, manifestou o seu pesar pelo falecimento do ex-deputado e ex-governador Guilherme Melo. Em nota oficial, ele se solidarizou com a família enlutada ao tempo em que manifestou condolências aos piauienses que com ele conviveram.

“A Prefeitura de Teresina manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento do ex-deputado e ex-governador do Piauí, Guilherme Melo”, diz a nota, ao tempo em que lembra que ele exerceu diversos cargos públicos no Piauí, sempre com competência e dedicação.

Currículo - Guilherme Cavalcante de Melo nasceu  em Teresina, em 25 de junho de 1952, era administrador de empresas, advogado e político, filho de João Mendes Olímpio de Melo e Luzia Cavalcante Melo. Formado em Administração de Empresas pelo Centro Universitário de Brasília, atuou como empresário cumprindo antes estágios no Banco do Brasil e no Banco Central do Brasil.

Assessor da extinta Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMBRATER) e também da Câmara dos Deputados, atuou como membro do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI) no estado do Piauí, além de diretor de empresas como a Imobiliária Primavera e a Novaterra Reflorestamento e Agropecuária além de ter assessorado a CEPISA (Companhia Energética do Piauí S/A) e de ter sido um dos diretores da Associação Comercial do Piauí. Formou-se advogado pela Universidade Federal do Piauí em 1983.


Carreira política
- Membro do MDB e presidente do diretório municipal do PMDB em Teresina, ingressou depois no PDS e foi chefe da Casa Civil no primeiro governo Hugo Napoleão deixando o cargo em solidariedade ao seu então sogro Lucídio Portela quando da cisão governista que resultaria na criação do PFL sendo eleito deputado estadual em 1986.

Anos mais tarde os referidos líderes recompuseram a aliança e assim Guilherme Melo foi escolhido candidato a vice-governador do Piauí na chapa de Freitas Neto vencendo o segundo turno das eleições de 1990. Foi efetivado governador em 30 de março de 1994 quando o titular renunciou para concorrer ao Senado Federal estando então filiado ao PPR e meses depois ao PPB e por esta legenda foi eleito primeiro suplente de deputado federal em 1998.

Em 1994, quatro candidatos disputaram a sucessão estadual: Átila Lira, Mão Santa, Nazareno Fonteles e Marciano Silveira. Guilherme Melo apoiou Átila Lira, que foi derrotado por Mão Santa.

No segundo governo Hugo Napoleão presidiu a Companhia de Habitação do Piauí S/A (COHAB/PI) exercendo o mandato de deputado federal por curto período ao final de 2002 quando Heráclito Fortes foi secretário de Defesa Civil. Em 2006 foi candidato a deputado estadual pelo PDT, mas não se elegeu.

Fonte: Alepi

Dê sua opinião: