PODER

Mais de 30 entidades sociais lançam manifesto contra a suspensão do Proaja

“Manifesto em Defesa do PROAJA e Pelo Direito de Aprender dos Alfabetizados” foi divulgado nesta quinta-feira na Alepi

Lançamento do manifesto no Plenarinho da Assembleia Legislativa

Lançamento do manifesto no Plenarinho da Assembleia Legislativa Foto: Paulo Pincel

Pelo menos 32 instituições sociais, educacionais e empresariais, a maioria organizações não governamentais, assinam o “Manifesto em Defesa do PROAJA e Pelo Direito de Aprender dos Alfabetizados”, divulgado na manhã desta quinta-feira (28), em ato realizado no Plenarinho da Assembleia Legislativa, em Teresina.

Além do ato, uma exposição, montada na entrada do Plenarinho, reúne todo o material didádico, pedagócio e lúdico usado no processo de alfabetização de jovens e adultos nos municípios piauienses.


As entidades que assinam o manifesto defendem a manutenção do PROAJA (Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos), que conta com 150 mil alunos assistindo aula nos municípios do Piauí.




“Interromper um programa que está nesse estágio de execução é ferir direitos de alfabetizados, que estão tendo oportunidade que não tiveram na idade adequada”, alerta o manifesto, que foi distribuído à imprensa e às autoridades presentes.

O deputado estadual Francisco Costa participou da manifestação no Plenarinho da Assembleia e também defendeu a manutenção do PROAJA. O parlamentar entende que “eventuais falhas encontradas na execução do programa foram e serão prontamente corrigidas pelas entidades participantes e pela Secretaria de Estado da Educação”.


“Fomos convidados por várias entidades que se juntaram em defesa da educação, em especial educação de jovens e adultos, que é algo que precisamos ter uma atenção especial, e por acreditar na educação. Nós estamos aqui também com deputado estadual representante do povo piauiense e por ser um apaixonado pela educação”, explicou Francisco Costa.




Manobra política

Questionado sobre a quem interessa o fim de um programa de tamanha envergadura “e de um alcance social nunca visto no Brasil”, Francisco Costa afirmou que a extinção do Proaja é uma articulação “pura e exclusiva" da oposição ao Governo do Estado”.

“Algo que é muito danoso, que a gente percebe claramente. Aqui, o Governo do Estado faz um programa que foi aprovado pela Assembleia Legislativa buscando alfabetizar aquelas pessoas que no passado ficaram marginalizadas, não tiveram acesso à educação. O governo monta estratégia para alcançar essas pessoas e até mesmo por conta dos resultados que já eram positivos, busca a oposição fazer um denuncismo desnecessário para mais uma vez marginalizar e prejudicar esses adultos que não tiveram oportunidade no passado e que teriam e que agora estão com essa condição suspensa”, lamentou o deputado.





Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: