PODER

Grande Rio e Imperatriz largam na frente no Rio na avaliação dos críticos

Primeira noite de desfiles do Grupo Especial encheu de cores a Marquês de Sapucaí

Carro do Salgueiro na Marquês de Sapucaí no Rio de Janeiro

Carro do Salgueiro na Marquês de Sapucaí no Rio de Janeiro Foto: Reprodução/Carnavalesco.com.br

O primeiro dia de desfiles do Grupo Especial no Sambódromo do Rio de Janeiro encheu de cores a Marquês de Sapucaí, com as fantasias e adereços da elite do carnaval carioca.

A noite começou com a Unidos do Porto da Pedra que teve como enredo Lunário Perpétuo: a profética do saber popular. A agremiação contou a história de um livro que reúne orientações sobre astronomia, agricultura, saúde, uso de ervas.

Escrito em 1594 pelo espanhol Jerónimo Cortés, o Lunário Perpétuo foi apontado pelo folclorista Câmara Cascudo como a publicação mais lida no Nordeste brasileiro durante 200 anos.

Em seguida, desfilou a Beija-Flor que trouxe o enredo Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila.


A história de Benedito dos Santos, que ficou conhecido como Rás Gonguila, foi contada ao público. Nascido na capital alagoana, ele afirmava ser descendente direto do último imperador da Etiópia.



A Beija-Flor foi a segunda escola a desfilar na Marquês de Sapucaí
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil



O Salgueiro foi responsável pelo terceiro desfile da noite, com o enredo Hutukara, que falou sobre o povo Yanomami.


Desfile da Escola de Samba Salgueiro
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Desfile do Salgueiro
Foto: Carnavalesco.com.br


A cultura indígena também foi tema do desfile da Grande Rio, a quarta a pisar na avenida do samba. O enredo Nosso Destino É Ser Onça abordou a mitologia tupinambá.

Porta-bandeira da Grande Rio
Foto: Alexadre Cassiano/O Globo

Paola Oliveira exibiu saúde e  "virou onça" na Sapucai
Foto: Marcos Serra Lima/gshow


A quinta apresentação foi da Unidos da Tijuca. Suas cores, azul e amarelo, deram vida ao enredo O Conto de Fados.  

A Unidos da Tijuca mexeu com os sentidos do público com viagem lúdica a Portugal.


Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Unidos da Tijuca
Foto: Alexandre Cassiano/O Globo


Atual campeã, a Imperatriz Leopoldinense encerrou a programação do primeiro dia. A agremiação foi mais uma que levou para a Sapucaí um enredo baseado em um livro.


A obra ficcional O Testamento da Cigana Esmeralda, do poeta pernambucano de cordel Leandro Gomes de Barros, foi a escolhida.


Ciganas da Imperatriz Leopoldinense
Foto: Alexandre Cassiano/O Globo


Destaque Rafa Kalimann
Foto: Marcos Serra Lima/gshow


Intitulado Com a Sorte Virada pra Lua, segundo o testamento da cigana Esmeralda, a escola explorou o imaginário em torno do universo cigano.



A Imperatriz é a atual campeão do Carvanal do Rio de Janeiro
Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Fonte: Agência Brasil

Dê sua opinião: