PODER

Força Integrada de Segurança vai combate as facções do crime organizado no Piauí

Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal se reuniram e definiram acordo de cooperação

Reunião decidiu pela criação da Força Integrada de Segurança no Piauí

Reunião decidiu pela criação da Força Integrada de Segurança no Piauí Foto: Divulgação/PF

O “pedido de socorro” do prefeito de Parnaíba, Francisco de Assis de Moraes Souza, o “Mão Santa, surtiu efeito. O Piauí montou uma Força Integrada de Segurança para combater as facções do crime organizado que migraram de outras regiões, principalmente o Sudeste, para o Nordeste.

Nesta terça-feira (19), comandantes, diretores e delegados das Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal se reuniram e definiram os termos do acordo de cooperação a ser assinado nos próximos dias. Uma das decisões de hoje foi que a sede da Força Integrada de Segurança será na sede da Polícia Federal em Parnaíba, cidade hoje dominada pelo crime.

A chefe da Delegacia Regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, delegada Gabriela Madrid Aquino, disse que o  foco dessa força tarefa integrada é combater as facções criminosas, tráfico de drogas e de armas, a receptação de cargas roubadas e outros crimes violentos.

“Será uma integração tanto de inteligência como operacional. Estaremos de prontidão para dar resposta e a integração é para evitar a fragmentação das ações e atuar de forma conjunta com comunicação e unindo forças”, revelou a delegada Gabriela Aquino. “Não haverá hierarquia, será uma ação horizontal em que haverá um colegiado para as decisões mais importantes”.

“A exemplo de outros estados, nós estamos nos organizando para formar uma força tarefa. Essa força tarefa será composta pelos órgãos que compõem o sistema. A ideia é unir esforços, a logística de cada um, para o enfrentamento de organizações criminosas. O foco são alguns crimes como o tráfico de entorpecentes dentre outros”, adiantou o secretário de Estado da Segurança, coronel-PM Rubens Pereira.

“Esse projeto piloto vai começar no Piauí por Parnaíba. Já formamos lá um comitê integrado, mas nós precisamos de uma cobertura jurídica. Será assinado um termo de cooperação para que se tenha uma justificativa de gasto público de cada instituição”, acrescentou o secretário, ao final do encontro de hoje.

“Cada força terá um representante. Vai ter um espaço físico na delegacia regional federal de Parnaíba e vamos trocar informações de inteligência e, a partir daí, focar nas investigações e chega na autoria de crimes e acionar o judiciário. É uma força especificamente para o litoral em razão da realidade que estamos vivendo lá neste momento, mas que pode se estender para outras regiões do Piauí”, previu o coronel.

O acordo de cooperação técnica vai  adotar metodologia já empregada em outros estados, com qualificação de pessoal, aquisição de equipamentos, viaturas e sistemas de inteligência integrados.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: