PODER

Dr. Pessoa e Wellington vão anunciar novas restrições para barrar avanço da Covid-19

Uma reunião, nesta segunda-feira (22), às 11h30, vai discutir a adoção de novas medidas

O número de pessoas com a Covid-19 cresce no estado

O número de pessoas com a Covid-19 cresce no estado

O avanço considerável das mortes e das infecções pelo novo coronavírus após o Carnaval,  depois que o prefeito Dr. Pessoa “relaxou” algumas das medidas de isolamento contidas no decreto assinado pelo governador Wellington Dias, acendeu a luz de alerta na prefeitura de Teresina. Uma reunião, nesta segunda-feira (22), às 11h30, no escritório da residência oficial do governador, vai discutir a adoção de novos protocolos para conter a Covid-19 na capital.

Em várias capitais do Nordeste, onde dobraram as mortes e os novos casos de infecção, o toque de recolher na madrugada e até o lockdown foram adotados como forma de conter a segunda onda da Covid-19

Voz vencida na prefeitura, quando da decisão de reabrir restaurantes, bares e outros estabelecimentos comerciais, o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, defende a adoção imediata de medidas mais restritivas contra a Covid-19.

“Diante da situação atual, nós tínhamos duas medidas a tomar: ou você deixa tudo aberto como estar e cria leito de UTI ou você vai ter que reduzir movimentação de pessoas para que os leitos de UTI sejam suficientes para acomodar os que precisam. Bem, abrir leito de UTI, nós já abrimos o que era possível e mesmo que a gente conseguisse abrir mais leito de UTI, não existe medicamentos no mercado para se comprar. As indústrias não estão produzindo quantidade suficiente. Nem luvas têm mais no mercado para vender. Então, não temos outra alternativa: algumas medidas restritivas terão que ser tomadas", defendeu Albuquerque, em entrevista à TV Cidade Verde na manhã desta segunda-feira.

"Ontem foi um dia inteiro de discussões, levantamento de dados, interpretação desses dados para que a gente possa subsidiar o prefeito e o governador sobre medidas necessárias a serem tomadas. É evidente que ninguém gostaria de ter medidas restritivas. Isso é ruim para nós, gestão pública, sociedade, todo mundo", avaliou o presidente da FMS.

Boletim da Secretaria Estadual de Saúde do Piauí (Sesapi) aponta que os leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) chegaram a 79,5% de ocupação este final de semana, a maior já registrada desde junho do ano passado.  Já em Teresina, as internações resultaram numa ocupação de 84% dos leitos de UTI Covid. 

Nota do COE:
 
"A equipe do Centro de Operações Emergenciais (COE) esteve reunião neste sábado (20) e avaliou que a ocupação de leitos na região de Teresina, Parnaíba, Floriano e Piripiri já ultrapassa 80%. Com isso, o COE recomenda reforço nos cuidados com a higienização e distanciamento.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), está trabalhando na ampliação de leitos, porém esta é uma medida que exige tempo e profissionais disponíveis. Portanto, a colaboração da população é fundamental neste momento para evitar o colapso da Rede Estadual de Saúde.

O momento é de alerta, por isso é necessário manter os cuidados para evitar a propagação da Covid-19. Evite sair de casa, mas se precisar sair, use máscara. Lave as mãos com frequência, usando água e sabão ou álcool em gel".

A taxa de ocupação de UTI nos principais hospitais do Piauí:

Hospital do Monte Castelo - 100% de ocupação

Hospital Universitário - 100% de ocupação

Hospital Rio Poty - 100% de ocupação

Hospital São Marcos - 90,5% de ocupação

Hospital Getúlio Vargas - 90% de ocupação

Hospital Natan Portela - 90% de ocupação

Hospital Prontomed - 90% de ocupação

Hospital Tibério Nunes (Floriano) - 95% de ocupação

Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Parnaíba) - 93,3% de ocupação

Hospital Chagas Rodrigues (Piripiri) - 90% de ocupação

Leia também:

https://www.parlamentopiaui.com.br/blogs/paulo-oliveira-pincel/ocupacao-de-leitos-de-uti-covid-dispara-e-hospitais-podem-entrar-em-colapso-no-piaui-190136.html

Fonte: FMS

Dê sua opinião: