PODER

CPI do Transporte de Teresina vai contar com apoio do Tribunal de Contas do Estado

Os vereadores Bruno Vilarinho, Dudu do PT e Pollyanna Rocha, estiveram hoje com a presidente do TCE-PI, conselheira Lilian Martins

Os vereadores Bruno Vilarinho, Dudu do PT e Pollyanna Rocha, com a presidente do TCE-PI, conselheira Lilian Martins

Os vereadores Bruno Vilarinho, Dudu do PT e Pollyanna Rocha, com a presidente do TCE-PI, conselheira Lilian Martins Foto: Assessoria parlamentar

Os vereadores Bruno Vilarinho, Dudu do PT e Pollyanna Rocha, estiveram com a presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheira Lilian Martins, na manhã desta segunda-feira, na sede do TCE-PI, no bairro São Pedro, na zona Sul da capital. Os vereadores foram solicitar a participação do TCE-PI na Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara Municipal de Teresina para investigar os contratos da Prefeitura com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut).

“Hoje estive em reunião com a conselheira Lilian Martins, presidente do Tribunal de Contas do Estado e os vereadores Bruno Vilarinho e Pollyanna Rocha. Recebemos o apoio do TCE e do MPE na forma de um representante, que irá acompanhar os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar e investigar denúncias de irregularidades na execução do contrato licitatório para exploração das linhas de transporte coletivo urbano e passageiros do município”, explicou o vereador Dudu, que vai se reunir também com a Procuradoria Geral de Justiça do Estado para propor a participação do Ministério Público na CPI. 

Vereadores Bruno Vilarinho, Dudu do PT e Pollyanna Rocha com a conselheira Lilian Martins
Foto: Assessoria parlamentar


A CPI do Transporte Público

A CPI do Transporte Público foi instalada na Câmara Municipal de Teresina no dia 10 de maio, atendendo a proposta do vereador Dudu. São membros titulares os vereadores Dudu (presidente), Bruno Vilarinho (vice-presidente), Enzo Samuel (relator) Luis André e Paulo Lopes. Deolino Moura e Pollyana Rocha são suplentes.

As empresas assinaram um contrato de 15 anos para exploração do sistema, podendo ser prorrogado por mais 15 anos. "Seis anos de serviços já foram cumpridos. As empresas foram contratadas para a prestação de um serviço que não estão realizando", lamentou Dudu.

Nesta terça-feira (18), às 9h, no Plenário da Câmara Municipal, serão ouvidos a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e da Procuradoria Geral do Município (PGM). Na quinta-feira (20) a CPI deve ouvir entidades representativas dos trabalhadores no transporte coletivo e diretores de um dos quatro consórcios de empresas de transporte de passageiros da capital.

CPI é bem-vinda

 Há duas semanas, o coordenador técnico do Setut, Vinícius Rufino, afirmou que a instalação da CPI ou qualquer outra medida que esclareça a realidade dos contratos de concessão são muito bem-vindas.

“Nós temos certeza que será de grande valia para trazer conhecimento à sociedade de que realmente o setor está muito próximo do colapso, por total falta de gestão e cumprimento das regras contratuais, por parte do poder público”, disse o coordenador.

“As dificuldades que as operadoras e o sistema têm enfrentado para se manter vivo são reais, então entendemos que será um ato muito importante, que contribuirá para mostrar à sociedade a realidade e garantir, dessa forma, o serviço à população usuária, bem como dar sobrevivência às operadoras do sistema de transporte coletivo urbano de Teresina", acrescentou Rufino.

Fonte: CMT

Dê sua opinião: