PODER

Corregedoria vai punir policial militar da ativa que fizer campanha para candidato

"Temos portaria, leis e decretos... falta conhecimento não pode ser alegado”, advertiu o comandante-geral

Coronel Scheiwann Lopes com a governadora Regina Sousa

Coronel Scheiwann Lopes com a governadora Regina Sousa Foto: CCom/Paulo Barros

A Corregedoria da Polícia Militar vai atuar no sentido de investigar - e punir - o PM flagrado ou denunciado por fazer campanha eleitoral dentro do local de trabalho ou durante o expediente.


O comandante-geral da PM-PI, coronel Scheiwann Lopes, prometeu coibir manifestações políticas de policiais militares da ativa durante a campanha eleitoral, inclusive no dia da eleição.


“Como o direito de qualquer outro pré-candidato pode se candidatar. Temos nossas preferências políticas, por agremiações, como qualquer outro cidadão, mas como funcionários públicos não devemos tratar destes assuntos no âmbito da instituição sob horário de expediente. Temos portaria, leis e decretos que regulamentam isso. Então, falta conhecimento não pode ser alegado”, advertiu o comandante-geral.


O PM da ativa pode responder administrativamente por realizar manifestações políticas, sejam elas presencialmente ou pelas redes sociais. A punição vai da advertência à expulsão, de acordo com a gravidade do crime cometido.


“Os casos pontuais conduta que chegarem enviaremos para a corregedoria. Se tiver algum caso pontual em que haja a necessidade de intervenção legal, vamos tomar as providências”, avisou Scheiwann Lopes.

Fonte: Paulo Pincel

Dê sua opinião: