PODER

Comandante da PM critica "prende e solta" de bandidos por brechas na lei brasileira

"A polícia prende e a justiça solta", lamentou o coronel Lindomar Castilho

Coronel Lindomar Castilho, comandante-geral da Polícia Militar do Piauí

Coronel Lindomar Castilho, comandante-geral da Polícia Militar do Piauí Foto: Reprodução/G1PI

A polícia prende e a justiça solta. No meio dessa queda de braço entre Executivo e Judiciário, indefesa e apavorada, permanece a população, alvo da violência e da criminalidade. O comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Lindomar Castilho, defende a mudança na legislação penal brasileira para manter presos os bandidos que  assaltam, estupram e matam... e continuam livres e impunes.
“Eles entram se saem rapidamente do sistema prisional, e às vezes saem do mesmo jeito ou pior, voltam para as ruas e mais uma vez cometem crimes. Eles vivem do crime, são profissionais do crime. As polícias continuam prendendo. Esse é o nosso papel todo dia. Infelizmente, essa questão da nossa legislação tem que ser revista em algum momento, porque é com muita facilidade que esse pessoal entra e sai do sistema prisional”, lamentou o coronel Lindomar, em entrevista ao programa Notícia da Manhã (TV Cidade Verde/SBT).
Lidomar Castilho adiantou que a PM vai disponibilizar o maior contingente de políciais nas ruas a partir de setembro, inclusive comprando as folgas dos militares. Recursos não faltam, segundo o coronel.  
“Temos uma estratégia de reforçar esse policiamento através de operações planejadas, com os policiais nas folgas. O Governo do Estado tem destinado um recurso substancial para a PM para aplicar nesse sentido. O governador ampliou ainda mais esse recurso e vamos ter condição de, a partir de setembro, ter um contingente maior da PM nas ruas”, revelou o comandante.
O coronel admite que há um déficit considerável de policiais militares nos quarteis e batalhões, mas que os últimos concursos públicos realizados pelo Governo do Estado reduziram esse déficit.

“Existe o déficit sim. O governo reconhece isso, sabe que tem que repor esse contingente. Além do efetivo, é preciso que a gente tenha a condição de estar otimizando esse policiamento. Hoje, os policiais que saem formados já não vão mais para órgãos, com iam anteriormente. Já temos isso regulamentado. Os que estão, vamos, paulatinamente, substituindo pelos policiais do núcleo da reserva”, explicou.

Fonte: TV Cidade Verde

Dê sua opinião: