PODER

Franzé afirma que só a aprovação da lei do ICMS não vai baixar preço de combustíveis

"Vai ficar comprovado que o problema não é o ICMS, mas a política de preços da Petrobras", previu

Posto de combustíveis em Teresina

Posto de combustíveis em Teresina Foto: Paulo Pincel

O presidente da Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa do Piauí, adiantou, nesta quinta-feira (7), que o Projeto de Lei do Executivo, que reduz para 18% a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis no estado será discutido nas comissões e votado no Plenário na próxima terça-feira (12).

Franzé Silva observa que a aprovação da lei – adequando a legislação do Piauí à Lei Complementar 194/2022 – não vai baixar os preços dos combustíveis. “Nas próximas semanas, quando o preço do combustível for reajustado, ficará comprovado que o problema não é o ICMS, mas sim a política de preços da Petrobras, que é o que deveria ser mudado. É uma enganação do governo federal que vai sacrificar os estados, municípios e a população”, frisa o vice-presidente da Alepi.




Na visão de Franzé Silva, “até agora, o governo federal baixa a alíquota dos estados, mas não mostra nenhuma forma de compensação. Como a política da Petrobras continua a mesma, nós teremos nas próximas semanas o reajuste de combustível, por causa de uma política de preços errada, e os recursos da população que deveriam ir para as creches, hospitais, segurança pública vão continuar indo para o bolso dos acionistas da Petrobras”, lamenta o parlamentar.

Fonte: Assessoria parlamentar

Dê sua opinião: